CELEBRAR O DOMINGO VIGÉSIMO


Os textos da Escritura propostos para o vigésimo domingo (Ano B) são sobejamente conhecidos! Vários cânticos utilizados nas celebrações fazem eco destes textos. Por isso, talvez seja necessário escutá-los com ainda mais atenção: a Palavra de Deus é alimento, é para ser comida… um convite a saborear a bondade divina. A Sabedoria «pôs a mesa» (primeira leitura), somos convidados a saborear «como o Senhor é bom» (salmo), a dar graças a Deus com «salmos, hinos e cânticos espirituais» (segunda leitura) e, claro, a alimentarmo-nos de Jesus Cristo para ter «a vida eterna» (evangelho). É um convite que se repete em cada domingo, em cada eucaristia.

«Vinde comer do meu pão»
O livro dos Provérbios faz-nos uma proposta de sensatez e de prudência, com ensinamentos acumulados ao longo dos séculos. Os provérbios são sentenças breves que contêm um pouco da sabedoria que tem origem em Deus e que passou a fazer parte do património cultural dos povos. Este livro — Provérbios — é composto por várias coleções de máximas: as mais antigas (capítulos dez a vinte e dois e capítulos vinte e cinco a vinte e nove) remontam à época de Salomão (século décimo, antes de Cristo); as mais recentes (capítulos um a nove e capítulo trinta e um) fazem parte, muito provavelmente, da época pós-exílio (por volta do século terceiro, antes de Cristo).
O fragmento da primeira leitura (retirado do nono capítulo) apresenta-nos a Sabedoria como uma senhora que constrói uma casa e se dispõe a oferecer os seus bens a todas as pessoas. A proclamação/convite é feita nos pontos mais altos da cidade. E é dirigida ao «inexperiente» e aos «insensatos» para mostrar a necessidade imprescindível deste saber e desta sensatez. O pão e o vinho são o conteúdo da oferta. A interpelação termina com a indicação para seguir pelo «caminho da prudência», o caminho que conduz à vida.
O tema do banquete é um tema recorrente em toda a Sagrada Escritura. Em Israel, como entre nós, partilhar a mesa era sinal de comunhão. Aqui, comer o pão e beber o vinho oferecidos pela Sabedoria, a anfitriã, significa seguir os seus ensinamentos, acolher as suas propostas. Cada um é livre para aceitar ou recusar sentar-se à mesa e partilhar a refeição!

Nesta alusão do livro dos Provérbios vemos uma referência a Jesus Cristo. Ele é quem nos traz a autêntica sabedoria como uma Boa Notícia (Evangelho) e nos convida a sentar à mesa da eucaristia em que o próprio se dá como alimento. Sim, Jesus Cristo é a Sabedoria de Deus incarnada que se oferece como pão e vinho (carne e sangue, na terminologia evangélica; corpo e sangue, na formulação eucarística): «tomai, todos, e comei: isto é o meu corpo»; «tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue». E assim a eucaristia é alimento de vida eterna. «O pão e o vinho transformam-se no Corpo e Sangue de Cristo, que Se faz presente no seu caminho pascal para o Pai: este movimento introduz-nos, corpo e alma, no movimento de toda a criação para a sua plenitude em Deus» (Francisco, A Luz da Fé, 44).

© Laboratório da fé, 2015

Celebrar o domingo vigésimo (Ano B), no Laboratório da fé, 2015


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 13.8.15 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários