REZAR O SDOMINGO SEGUNDO DA QUARESMA

1 DE MARÇO DE 2015


Evangelho segundo Marcos 9, 2-10

Naquele tempo, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João e subiu só com eles para um lugar retirado num alto monte e transfigurou-Se diante deles. As suas vestes tornaram-se resplandecentes, de tal brancura que nenhum lavadeiro sobre a terra as poderia assim branquear. Apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: «Mestre, como é bom estarmos aqui! Façamos três tendas: uma para Ti, outra para Moisés, outra para Elias». Não sabia o que dizia, pois estavam atemorizados. Veio então uma nuvem que os cobriu com a sua sombra e da nuvem fez-se ouvir uma voz: «Este é o meu Filho muito amado: escutai-O». De repente, olhando em redor, não viram mais ninguém, a não ser Jesus, sozinho com eles. Ao descerem do monte, Jesus ordenou-lhes que não contassem a ninguém o que tinham visto, enquanto o Filho do homem não ressuscitasse dos mortos. Eles guardaram a recomendação, mas perguntavam entre si o que seria ressuscitar dos mortos.



Segunda, 23: SUBIR

Jesus toma consigo Pedro, Tiago e João e sobe com eles a um alto monte. Hoje, também é para nós: somos convidados a entrar no evangelho e a subir à montanha. Isto exigirá um pouco de esforço, para acompanharmos os passos de Jesus Cristo, o caminho parecer-nos-á longo, passo após passo, corajosamente chegaremos ao topo... Ao longo do caminho, veremos paisagens desconhecidas, capazes de tirar o fôlego. Senhor Jesus, conduz-nos às fontes da Vida!



Terça, 24: CONTEMPLAR

Quando participamos num circuito pedestre ou caminhamos pela montanha atrás de um guia (aquele ou aquela que tem o mapa e conhece bem o itinerário), vamos tranquilos e confiantes. Toda a nossa energia se pode concentrar naquilo que temos de fazer bem: caminhar e contemplar. Assim, é possível aperceber-se da beleza das paisagens e dos companheiros de viagem, para além das aparências, das nuvens e das tempestades. Senhor Jesus, abre os nossos olhos às maravilhas do teu Amor!



Quarta, 25: FOTO!

Dispõe de tempo para procurar, no computador, uma foto sobre um local teu conhecido: uma foto de férias em família, um bom momento entre amigos, um lugar particular de que gostas, uma foto da terra onde vives, da cidade ou país... Pensa que é aí que, hoje, Jesus se transfigura, que as suas vestes se tornam resplandecentes, duma brancura tal que nenhuma pessoa sobre a terra o pode conseguir parecido. Senhor Jesus, glória a ti, tu és o Messias de Deus!



Quinta, 26: PEDRO

Coloquemo-nos no lugar de Pedro: seguiu Jesus até ao cimo da montanha; viu-o transfigurado a falar com Elias e Moisés; interroga-se e não sabe o que dizer... Entremos em diálogo com ele para lhe falar da perplexidade que também nos habita, da nossa dificuldade em acreditar. Escutemo-lo a propor a Jesus para montar três tendas! Observa um pouco a falta de jeito, a ingenuidade, o despropósito, fixa bem o que vês, antes de julgar. Senhor Jesus, glória a ti, tu que és o Rei vencedor!



Sexta, 27: ESCUTAR

Estamos com os discípulos e Jesus no alto da montanha. «Veio então uma nuvem que os cobriu com a sua sombra e da nuvem fez-se ouvir uma voz: 'Este é o meu Filho muito amado: escutai-O'». Não há nada mais a fazer senão estar aí, deixar-nos impregnar pelo mistério da Palavra que nos penetra como um bálsamo que entra na pele, uma iguaria que ingerimos, uma carícia que toca o rosto, um beijo na boca. Senhor Jesus, glória a ti, tu és o Filho eterno!



Sábado, 28: DESCER

Pedro, Tiago e João, depois de terem vivido o momento excecional da transfiguração olham em volta e apenas veem Jesus. Vêmo-los a descer da montanha e voltar à vida quotidiana. Compreende-se que, para eles, tenha sido difícil partilhar tal experiência: o que dizer? Entretanto, Jesus ordena-lhes que não contem a ninguém o que tinham visto até que o Filho do Homem ressuscite dos mortos. Senhor Jesus, glória a ti, tu és sacerdote para sempre!



Domingo, 1: ACREDITAR

Os discípulos perguntam entre si o que é «ressuscitar dos mortos»! Como eles, percebemos que ressuscitar não deve consistir em re-viver, como se nada tivesse acontecido, ou não morrer. Seguir Jesus Cristo vai conduzi-los até ao túmulo vazio, após a morte; e nós sabemos que é a ausência que lhes permite fazer a experiência do ressuscitado, no caminho de Emaús. O exato momento da ressurreição transcende a história, será sempre um mistério. Portanto, a ressurreição de Jesus é uma realidade, que faz de nós testemunhas e nos faz entrar, pouco a pouco, na experiência da fé. Senhor Jesus, glória a ti, tu és o ressuscitado!



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2015

Rezar o domingo segundo da Quaresma (Ano B), no Laboratório da fé, 2015

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 23.2.15 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários