CELEBRAR O DOMINGO SEGUNDO


Este é um domingo de «transição»: a primeira semana do Tempo Comum começa na segunda-feira depois do Batismo de Jesus; portanto, não existe o primeiro domingo do Tempo Comum. Daí que este seja o segundo domingo (Ano B), mas ainda sem a proclamação do evangelho de Marcos (evangelista do Ano B). Em qualquer dos anos, neste domingo, é sempre proposto um texto retirado do evangelho de João.
Hoje, destaca-se o apelo à missão: chamamento de Samuel (primeira leitura) e dos primeiros discípulos (evangelho). Paulo (segunda leitura) sublinha que toda a pessoa tem consigo a «marca» de Deus: o Espírito Santo. Então, compete-nos «fazer a vontade» (salmo) divina.

«O Senhor estava com ele»
O texto da primeira leitura descreve a vocação de Samuel, um personagem que se tornará central na vida e na política do povo de Israel. É passagem de um tempo antigo — representado pelo sacerdote Heli — para o tempo novo «provocado» por Deus. De facto, a narração mostra com clareza que Deus é um interveniente decisivo na história: aparece como uma voz imponente e incómoda, mas não inoportuna.
O jovem Samuel não reconhece a voz, confunde-a com a voz de Heli. Pensa que é o sacerdote quem o chama a partir dos seus aposentos. «À terceira é de vez»: o sacerdote percebe que se trata da voz de Deus e convida Samuel a responder com disponibilidade para escutar. Foi preciso a colaboração de alguém experiente para ajudar o jovem a discernir a proveniência do chamamento!
Este é um texto paradigmático para compreender a vocação em todos os tempos: Deus toma a iniciativa, aproxima-se, chama pelo nome, insiste segunda e terceira vez; Samuel deixa-se surpreender pelo chamamento, abre-se à novidade, deixa-se ajudar no discernimento, exprime disponibilidade: «Falai, Senhor, que o vosso servo escuta».
O verbo «escutar» é preponderante na Sagrada Escritura e em toda a experiência espiritual, como se expressa no coração da fé de Israel: «Escuta, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças. As palavras que te prescrevo ficarão gravadas no teu coração» (Deuteronómio 6, 4-6).
O jovem Samuel recebe um ensinamento decisivo: a vida de fé consiste em escutar a voz de Deus. Ao mostrar-se disponível para escutar, «o Senhor estava com ele». E Deus continua a estar com aqueles e aquelas que, hoje, reconhecem a sua voz, que aprendem a «saborear» a sua presença. Como aqueles homens do evangelho que «foram ver onde [Jesus] morava e ficaram com Ele nesse dia».

Os (cinco) domingos que antecedem o início da Quaresma são adequados para fazermos o exercício de saborear calmamente a presença de Deus. «A Bíblia é para comer» — escreve o padre José Tolentino Mendonça, numa das reflexões que compõem a segunda parte da obra «A mística do instante» (ed. Paulinas). Saborear Deus! Saborear a Bíblia, palavra de Deus! O desafio consiste em aprimorar o paladar, em fazer um «MasterChef» da saborosa presença de Deus na nossa vida.

© Laboratório da fé, 2015

Celebrar o domingo segundo (Ano B), no Laboratório da fé, 2015

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 15.1.15 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários