REDESCOBRIR O CAMINHO DA FÉ


Segundo aniversário! O «Laboratório da fé» surgiu no mês de outubro de dois mil e doze. Nasceu para concretizar os objetivos propostos naquele ano pastoral dedicado à fé professada e também associado ao Ano da Fé. Aliás, uma das fontes inspiradoras deste projeto é retirada da Carta Apostólica de Bento XVI com a qual se proclamou o Ano da Fé: «redescobrir o caminho da fé para fazer brilhar, com evidência sempre maior, a alegria e o renovado entusiasmo do encontro com Cristo» (número 2).
Depois, no ano seguinte, quisemos dar-lhe continuidade através de várias propostas cuja meta era facultar uma atenção mais cuidada à fé celebrada, tema desse ano pastoral.

Laboratório da fé vivida

Agora, em outubro de dois mil e catorze, «estamos na terceira etapa do nosso plano pastoral. A fé professada e celebrada continua em fé vivida, isto é, a fé transforma-se em vida e transforma a nossa vida. Orienta-nos o desejo de alcançarmos o fruto da unidade profunda entre a fé e a caridade» (Programa Pastoral da Arquidiocese de Braga).
O «rosto» deste projeto continua a ser uma página na internet (www.laboratoriodafe.net) onde são publicados textos que pretendem ajudar cada pessoa a entrar no «laboratório da fé», a fazer o seu caminho de (re)descoberta da fé, a despertar para a importância de cada um/ «renovar hoje mesmo o seu encontro pessoal com Jesus Cristo ou, pelo menos, a tomar a decisão de se deixar encontrar por Ele, de O procurar dia a dia sem cessar. Não há motivo para alguém poder pensar que este convite não lhe diz respeito, já que ‘da alegria trazida pelo Senhor ninguém é excluído’» (Exortação Apostólica do Papa Francisco sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual: «A Alegria do Evangelho» — «Evangelii Gaudium», 3).
Este «Laboratório da fé» também pode ser acompanhado nas principais redes sociais: facebook, twitter, google+.

Uma unidade profunda entre a e a caridade

O «fruto esperado» para este ano pastoral — «uma unidade profunda entre a fé e a caridade» — servirá de mote para uma reflexão mensal sobre as obras de misericórdia. «Está em causa a capacidade de ‘reaprender a gramática elementar da caridade’, cujo fio condutor se encontra na prática das obras de misericórdia» (Programa Pastoral da Arquidiocese de Braga para 2014+15).
Em outubro, o tema será a «tradição das obras de misericórdia» tendo por base a obra de Luciano Manicardi, «A caridade dá que fazer: Redescobrindo a atualidade das ‘obras de misericórdia’», publicada em português pelas edições Paulinas. Nos meses seguintes, duas obras de misericórdia (uma material e uma espiritual), a saber: novembro – sepultar os mortos e rezar a Deus por vivos e defuntos; dezembro – dar de comer a quem tem fome e ensinar os ignorantes; janeiro – vestir os nus e consolar os tristes; fevereiro – assistir os doentes e suportar com paciência as fraquezas do nosso próximo; março – dar de beber a quem tem sede e corrigir os que erram; abril – visitar os presos e dar bons conselhos; maio – dar pousada aos peregrinos e perdoar as injúrias.

Viver a 

«Viver a fé» — é o título geral da iniciativa que se vai desenvolver em quarenta e duas reflexões sobre a «fé vivida», no sentido de «aprofundar os conteúdos da Doutrina Social da Igreja». As reflexões, elaboradas a partir do Compêndio da Doutrina Social da Igreja, vão ser publicadas, no «Laboratório da fé», ao ritmo de uma por semana, até finais de julho de dois mil e quinze.
Além destas reflexões, daremos início à divulgação diária do conteúdo do Compêndio da Doutrina Social da Igreja: um número por dia acompanhado de uma imagem; serão 583 dias a divulgar a Doutrina Social da Igreja. Com autorização expressa, reproduziremos a versão em língua portuguesa retirada da obra publicada pela «Princípia Editora»: Compêndio de Doutrina Social da Igreja, Princípia, 2005.
Esperamos dar um contributo para alcançar o objetivo proposto no programa pastoral.

Vivamos corajosamente a alegria do Evangelho!

«A dinâmica eclesial deste tempo exige a leitura atenta da Exortação Apostólica do Papa Francisco sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual (‘A Alegria do Evangelho’ — ‘Evangelii Gaudium’ [EG]). No nosso caso, dedicaremos maior atenção a alguns pontos retirados dos segundo e quarto capítulos da referida Exortação Apostólica. Neles, buscamos inspiração e (novos) caminhos pastorais. Ao longo deste ano pastoral, vivamos corajosamente a alegria do Evangelho!» (Programa Pastoral da Arquidiocese de Braga para 2014+15). Os números pertencentes aos dois capítulos referidos serão compilados em cinquenta e dois temas (um para cada semana do ano pastoral).

© Laboratório da fé, 2014


Laboratório da fé, 2012/2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 5.10.14 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários