CELEBRAR O DOMINGO VIGÉSIMO SEXTO

UMA LITURGIA SIMPLES E BELA

Apresentamos algumas sugestões para concretizar o fruto esperado deste ano pastoral: «uma liturgia simples e bela, sinal da comunhão entre Deus e os seres humanos».



Deus ama-nos e quer dar-nos a vida

O chamamento de Deus, o convite à conversão, às vezes, pode-nos parecer demasiado exigente. Se bem que chegamos a dizer «sim» da boca para fora, mas não correspondemos com o nosso coração (evangelho). E a resposta transforma-se efetivamente em «não». Contudo, o profeta Ezequiel recorda-nos a palavra sempre fiel de Deus: sim, o Senhor ama-nos e quer dar-nos a vida (primeira leitura). Ele envolve-nos com a sua misericórdia e guia-nos pelo caminho certo (salmo). Pois, se Deus deseja a nossa conversão é porque nos quer oferecer o seu Reino de justiça e de paz. Paulo desafia-nos a entrar nesta «lógica» do amor (segunda leitura), para, com alegria e humildade, nos deixarmos amar por Deus.



Fé celebrada com a comunidade


  • A Liturgia da Palavra do vigésimo sexto domingo (Ano A) insiste: hoje, em cada momento, seja qual for o meu passado — mesmo que me tenha acostumado a dizer «não» —, Deus convida-me a dizer «sim», a «abrir os olhos» para percorrer o caminho da vida. 
  • A Liturgia Eucarística recorrendo ao «Prefácio dos Domingos do Tempo Comum VII: A salvação pela obediência de Cristo» estará em sintonia com a Carta aos Filipenses (segunda leitura). E a «Oração Eucarística II» («Missal Romano», página 524 e seguintes), que dá graças porque fomos escolhidos para servir, recorda, segundo o evangelho, aqueles e aquelas que aceitaram o convite para ir trabalhar na vinha.



© Laboratório da fé, 2014

Celebrar o domingo vigésimo sexto (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 27.9.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários