CELEBRAR O DOMINGO VIGÉSIMO QUINTO

UMA LITURGIA SIMPLES E BELA

Apresentamos algumas sugestões para concretizar o fruto esperado deste ano pastoral: «uma liturgia simples e bela, sinal da comunhão entre Deus e os seres humanos».



Os meus pensamentos não são os vossos

O vigésimo quinto domingo (Ano A) convida-nos a converter o nosso olhar e o nosso coração para acolher os pensamentos de Deus (primeira leitura) e viver da sua vida (segunda leitura): tenhamos confiança, Deus é cheio de amor e justo em tudo o que faz (salmo). Por isso, embora surpreendentes, não são descabidas as perguntas do dono da vinha: «Não me será permitido fazer o que quero do que é meu? Ou serão maus os teus olhos porque eu sou bom?» (evangelho). Estas correspondem à misericórdia do Pai que é «bom para com todos» (salmo), com particular atenção pelos mais débeis do nosso mundo, convidando-os a participar da sua bondade. «Felizes os convidados para a Ceia do Senhor» — é o convite que recebemos de Deus, antes de nos aproximarmos para receber o pão eucarístico, com uma atitude de conversão sincera e com uma vida «digna do Evangelho de Cristo» (segunda leitura). Deus retribui com profusão os seus dons a qualquer hora, idade ou situação. Esta é a esperança, quando muitos se lamentam pelo abandono da fé por parte dos seus filhos ou netos. Nunca é demasiado tarde para invocar o Senhor, pois Ele «está perto» (primeira leitura), sempre!



Fé celebrada com a comunidade

Em tempo de vindimas, o evangelho vai evocar, durante três domingos, a imagem bíblica da vinha. Símbolo fecundo do amor de Deus, a vinha está no centro da mensagem de Jesus Cristo para evocar certos aspetos do Reino dos Céus ou as exigências de quem quer entrar nele. Uma bela ocasião para, sem cair no ridículo, ornamentar o espaço litúrgico com alguns elementos que remetam para as videiras e as vinhas. Caso se trata de uma comunidade onde as vindimas são uma realidade muito presente pode-se, ainda, adaptar a Liturgia Eucarística para sublinhar a gratidão pelas uvas recolhidas e pelo vinho produzido, «fruto da videira e do trabalho do homem». Nesta situação, sugere-se o uso do «Prefácio dos Domingos do Tempo Comum V: A Criação» («Missal Romano», página 480).



© Laboratório da fé, 2014

Celebrar o domingo vigésimo quinto (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 19.9.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários