REZAR O DOMINGO VIGÉSIMO SEGUNDO

31 DE AGOSTO DE 2014


Evangelho segundo Mateus 16, 21-27

Naquele tempo, Jesus começou a explicar aos seus discípulos que tinha de ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos príncipes dos sacerdotes e dos escribas; que tinha de ser morto e ressuscitar ao terceiro dia. Pedro, tomando-O à parte, começou a contestá-l’O, dizendo: «Deus Te livre de tal, Senhor! Isso não há de acontecer!». Jesus voltou-Se para Pedro e disse-lhe: «Vai-te daqui, Satanás. Tu és para mim uma ocasião de escândalo, pois não tens em vista as coisas de Deus, mas dos homens». Jesus disse então aos seus discípulos: «Se alguém quiser seguir-Me, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me. Pois quem quiser salvar a sua vida há de perdê-la; mas quem perder a sua vida por minha causa, há de encontrá-la. Na verdade, que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua vida? Que poderá dar o homem em troca da sua vida? O Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus Anjos, e então dará a cada um segundo as suas obras».



Segunda, 25: O HOMEM PEDRO

Pedro acabou de fazer a Jesus uma declaração que o ultrapassa completamente: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo» (cf. evangelho do vigésimo primeiro domingo). Ele, filho de Jonas, não pode ter dito tal coisa por si mesmo. Jesus diz-lhe que ele é feliz por ter recebido do Pai tal revelação. A cena seguinte mostra-nos que Pedro não percebeu nada do que tinha dito. Como Pedro, às vezes, entusiasmamo-nos em seguir Jesus, mas a menor dificuldade remete-nos para os nossos limites humanos. Senhor ressuscitado, põe em mim a força que me torna capaz de seguir atrás de ti.



Terça, 26: JESUS, O MESSIAS

Diante do homem Pedro está Jesus Cristo, o Messias, que tem em si a natureza de Deus, ele que veio para introduzir a humanidade no amor, seja qual for o preço. É a partir do momento em que Pedro entrevê qualquer coisa do mistério de Deus, que Jesus pode revelar aos seus discípulos quem é verdadeiramente. Que diferença entre Pedro e Jesus, que diferença entre cada um de nós e o Filho de Deus! Sem o Espírito Santo, não nos podemos aproximar desse mistério. Espírito de Cristo ressuscitado, abre o meu coração ao teu projeto de amor para o ser humano.



Quarta, 27: SER OBSTÁCULO

Pedro, a quem Jesus chamou feliz, torna-se, em seguida, próximo de Satanás! Jesus não está a ser um pouco rude com Pedro? Sem dúvida, mas Cristo, o Messias de Deus, percebeu nas palavras de Pedro a presença daquele que produz obstáculos ao projeto de amor de Deus e se quer atravessar na sua missão. Interrogo-me se também acontece comigo de ser obstáculo ao amor, em mim ou ao meu redor. Como é que isso acontece?Espírito de Cristo ressuscitado, abre a minha inteligência e o meu coração ao discernimento.



Quinta, 28: TOMAR A CRUZ

Tomar a sua cruz... Eis uma palavra e, sobretudo, uma realidade, que nos dá medo! Mas o que é isso de tomar a cruz no quotidiano, senão simplesmente amar até ao fim como fez o próprio Jesus? Olho para o meu dia com esta luz e vejo os rostos das pessoas com quem me vou encontrar. Nomeio essas pessoas e acolho-as no meu desejo de amar. Cristo crucificado e ressuscitado, ensina-me a amar como tu amas, até ao fim.



Sexta, 29: COM JOÃO BATISTA

Hoje, a Igreja celebra o martírio de São João Batista, amigo do Esposo. Vou reler um ou outro texto do evangelho em que ele aparece; em especial, o «Benedictus», a oração do seu pai, Zacarias, aquando do seu nascimento (Lucas 1, 67-79) ou o relato da sua morte (Marcos 6, 17-29). Deixo ressoar as palavras que me tocam mais fundo; e peço a graça de entrar como e com João Batista na intimidade de Jesus. Senhor ressuscitado, faz de mim um profeta para preparar o teu caminho, à imagem de João Batista.



Sábado, 30: UMA QUESTÃO DE VIDA

Perder a sua vida, salvar a sua vida, dar em troca da sua vida... Ao ler estas expressões ficamos a saber que seguir Jesus não é um caminho fácil e que há um combate a vencer. Sim, há duas coisas a perder, mas é para ganhar outras em troca. Infinitamente mais ricas. Este evangelho abre-nos uma via estreita, a do combate pela vida ao escolher caminhar atrás de Jesus, nos seus passos. Então, deixemos os medos e as nossas caras de enterro! Escutemos Cristo dizer-nos que veio para nos «dar a vida em abundância» (João 10, 10) e deixemo-lo realizar nas nossas vidas a sua obra de ressurreição. Senhor ressuscitado, dá-me a tua vida abundante e arma-me para o bom combate.



Domingo, 31: OFERECERMO-NOS POR AMOR

Que força nas leituras de hoje! Além do evangelho que meditamos ao longo da semana, escutemos também Jeremias (Jeremias 20, 9), apreensivo quanto ao combate entre a inveja de seguir o Senhor e a hipótese de a deixar «cair», por causa das zombarias dos seus irmãos: «‘Não voltarei a falar n’Ele, não falarei mais em seu nome’. Mas havia no meu coração um fogo ardente, comprimido dentro dos meus ossos. Procurava contê-lo, mas não podia». Mas é talvez São Paulo que nos dá a chave deste combate, através da oferenda de nós mesmos: «Peço-vos, irmãos, pela misericórdia de Deus, que vos ofereçais a vós mesmos como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus, como culto espiritual». Escolho uma ou outra destas frases, a que me toque mais profundamente, e peço ao Senhor que me dê força para combater pelo amor.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014

Rezar o domingo vigésimo segundo (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 24.8.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários