VIVER O DOMINGO DÉCIMO NONO

10 DE AGOSTO DE 2014


Evangelho segundo Mateus 14, 22-33

Depois de ter saciado a fome à multidão, Jesus obrigou os discípulos a subir para o barco e a esperá-l’O na outra margem, enquanto Ele despedia a multidão. Logo que a despediu, subiu a um monte, para orar a sós. Ao cair da tarde, estava ali sozinho. O barco ia já no meio do mar, açoitado pelas ondas, pois o vento era contrário. Na quarta vigília da noite, Jesus foi ter com eles, caminhando sobre o mar. Os discípulos, vendo-O a caminhar sobre o mar, assustaram-se, pensando que fosse um fantasma. E gritaram cheios de medo. Mas logo Jesus lhes dirigiu a palavra, dizendo: «Tende confiança. Sou Eu. Não temais». Respondeu-Lhe Pedro: «Se és Tu, Senhor, manda-me ir ter contigo sobre as águas». «Vem!» – disse Jesus. Então, Pedro desceu do barco e caminhou sobre as águas, para ir ter com Jesus. Mas, sentindo a violência do vento e começando a afundar-se, gritou: «Salva-me, Senhor!». Jesus estendeu-lhe logo a mão e segurou-o. Depois disse-lhe: «Homem de pouca fé, porque duvidaste?». Logo que subiram para o barco, o vento amainou. Então, os que estavam no barco prostraram-se diante de Jesus, e disseram-Lhe: «Tu és verdadeiramente o Filho de Deus».



Com a fé não te afundas


A fé possibilita-nos seguir Jesus, nas mais variadas circunstâncias. Pode acontecer que a nossa fé descaia, desfaleça, ou que sejamos tentados pelo medo. Nesses momentos, tenhamos a humildade e a lucidez de dizer como Pedro: «Salva-me, Senhor!». Jesus estenderá a mão e nos agarrará. Quantas vezes temos reparado nessa mão de Jesus na nossa vida?
Há algo que nunca falha: com a fé não te afundas, flutuas. Até podem surgir desafios familiares, laborais, económicos, de saúde, que Jesus não deixará nunca que nos afundemos e afoguemos nos vai-e-vens que a vida traz consigo. Olhemos sempre para Cristo. Ele é o único que pode dar-nos o alento necessário no meio das inseguranças da nossa vida. Ele é o nosso único salva-vidas. Olhemos para Ele e não nos fixemos só nos problemas que acabarão por ameaçar a nossa estabilidade.

Jesus, entra no nosso barco,
para encontrarmos descanso;
e desapareça o medo 
da tempestade e das ondas da vida.

© Kamiano
© desenho de Patxi Velasco Fano — texto de Fernando Cordero
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014
A utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor


Viver o domingo décimo nono (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 10.8.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários