PREPARAR O DOMINGO DÉCIMO SEXTO

20 DE JULHO DE 2014


Sabedoria 12, 13.16-19

Não há Deus, além de Vós, que tenha cuidado de todas as coisas; a ninguém tendes de mostrar que não julgais injustamente. O vosso poder é o princípio da justiça e o vosso domínio soberano torna-Vos indulgente para com todos. Mostrais a vossa força aos que não acreditam na vossa omni­potência e confundis a audácia daqueles que a conhecem. Mas Vós, o Senhor da força, julgais com bondade e governais-nos com muita indulgência, porque sempre podeis usar da força quando quiserdes. Agindo deste modo, ensinastes ao vosso povo que o justo deve ser humano e aos vossos filhos destes a esperança feliz de que, após o pecado, dais lugar ao arrependimento.



Após o pecado, dais lugar ao arrependimento


O livro da Sabedoria, escrito muito provavelmente em Alexandria do Egito poucos anos antes do nascimento de Jesus, é um livro que pretende animar os judeus que vivem longe da terra de Israel a perseverar na fé e a permanecer fiéis às tradições dos antepassados num ambiente pagão hostil. Ao mesmo tempo, pretende estabelecer um diálogo entre a religião de Israel e a cultura grega, para atrair os pagãos à fé de Israel.
O fragmento proposto para primeira leitura do décimo sexto domingo (Ano A) pertence a um contexto em que se reflete sobre o castigo moderado que Deus infligiu aos cananeus, os antigos habitantes da Terra Prometida, pelos crimes que tinham cometido. Deus é o Senhor absoluto de todas as criaturas e não há outro Deus fora dele. Por isso, ninguém lhe pode pedir contas pelas suas ações, através das quais harmoniza a justiça com a misericórdia, embora dê sempre preferência a esta última. O seu senhorio é o princípio da justiça e não se pode equivocar porque todas as ações do ser humano são transparentes a seus olhos, mas Deus ama as criaturas porque são suas e o seu senhoria fá-lo ser compassivo. Só com duas classes de pessoas é que Deus faz valer o seu poder: com os que não acreditam nele — como o faraó — e com aqueles que, embora o reconheçam, atuam temerariamente. O povo da aliança sabe que, se alguma vez agir mal, Deus dar-lhe-á sempre oportunidade para o arrependimento.

© Joan Ferrer, Misa dominical
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014
A utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor

Preparar o domingo décimo sexto (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 17.7.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários