PREPARAR O DOMINGO QUARTO DE PÁSCOA

11 DE MAIO DE 2014


Atos dos Apóstolos 2, 14a.36-41

No dia de Pentecostes, Pedro, de pé, com os onze Apóstolos, ergueu a voz e falou ao povo: «Saiba com absoluta certeza toda a casa de Israel que Deus fez Senhor e Messias esse Jesus que vós crucificastes». Ouvindo isto, sentiram todos o coração trespassado e perguntaram a Pedro e aos outros Apóstolos: «Que havemos de fazer, irmãos?». Pedro respondeu-lhes: «Convertei-vos e peça cada um de vós o Batismo em nome de Jesus Cristo, para vos serem perdoados os pecados. Recebereis então o dom do Espírito Santo, porque a promessa desse dom é para vós, para os vossos filhos e para quantos, de longe, ouvirem o apelo do Senhor nosso Deus». E com muitas outras palavras os persuadia e exortava, dizendo: «Salvai-vos desta geração perversa». Os que aceitaram as palavras de Pedro receberam o Batismo e naquele dia juntaram-se aos discípulos cerca de três mil pessoas.



Juntaram-se aos discípulos cerca de três mil pessoas


O texto no seu contexto
. O apóstolo mostra, nesta ocasião, um caráter enérgico, pedindo que toda a casa de Israel reconheça Jesus, constituído por Deus como «Messias» e «Senhor». O primeiro título indica com clareza que todas as promessas foram cumpridas, as esperanças realizaram-se e não é preciso esperar outro; o segundo é o título divino conferido a Jesus a partir da sua glorificação; quando o nome de YHWH deixou de se pronunciar foi substituído pelo de «'Adonay», em hebraico, e «Kurios», em grego (Senhor), título que os cristãos tributaram desde o princípio a Jesus, especialmente na liturgia. A resposta da pessoa que adere à nova fé começa com a conversão e com a nova vida do batismo.

O texto na história da salvação. A história do povo judeu é uma história marcada pelo futuro e pela esperança. Olham sempre em frente: «no ano que vem em Jerusalém», «Deus enviará o seu Messias». Este caráter faz dele um povo insatisfeito com a realidade, mas, ao mesmo tempo, com a expetativa e o desejo de que tudo mude segundo o plano de Deus. A Igreja proclama, através de Pedro, que a intervenção de Deus aconteceu em Jesus: não devemos esperar outro. Devemos e podemos viver já o reino anunciado.

Palavra de Deus para nós: sentido e celebração litúrgica. A segunda parte do discurso de Pedro completa a anterior (terceiro domingo de Páscoa, Ano A). O cristão confessa Jesus como Senhor e incorpora-se a ele através do batismo. A Igreja nasce no anúncio e no sacramento.

© Pedro Fraile Yécora, Homiletica
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014
A utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor

Preparar o domingo quarto de Páscoa (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 7.5.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários