Mistério da fé! [18]


A Eucaristia associa a si aspetos que devem ser tidos em conta, na preparação, na celebração e até depois da celebração. Quem, como, quando e onde — são questões que sintetizam alguns desses pontos. Nesta reflexão não é possível apresentar todos os elementos importantes para responder às questões referidas; procuraremos fazê-lo também nos próximos temas (cf. temas 19 a 22) dedicados ao Sacramento da Eucaristia [Para ajudar a compreender melhor, ler: Marcos 14, 22-26); Catecismo da Igreja Católica, números (CIC) 1345 a 1355]

«Tomou um pão e, depois de pronunciar a bênção, partiu-o 

e entregou-o aos discípulos»

— relata o evangelho segundo Marcos, a propósito da «Instituição da Eucaristia».

Eucaristia

Entre as expressões (cf. temas 16 e 17) usadas para designar a Eucaristia encontra-se a de «Missa» ou «Santa Missa»: «Do latim, ‘mittere’ (enviar, despedir) [...]. O termo, provavelmente, teve a sua origem na despedida que se fazia dos catecúmenos (‘missa catecumenorum’), depois da liturgia da Palavra e, no final, na despedida dos fiéis (‘Ite, missa est’). [...] A partir do século VI, definitivamente, deu-se o nome de ‘missa’ a toda a celebração (José Aldazábal, «Dicionário Elementar de Liturgia» [DEL], ed. Paulinas, Prior Velho, 2007, 181).

Quem pode participar na eucaristia?

Em termos gerais, qualquer pessoa pode participar na celebração da eucaristia. No entanto, nem todos podem ter o mesmo tipo de participação.

Quem preside à eucaristia?

Todas as ações litúrgicas são presididas por Jesus Cristo; são exercício da presença de Jesus Cristo que acontece em, primeiro lugar, na assembleia (cf. tema 2). Todavia, nem todos têm a mesma função. E só os bispos ou os presbíteros podem presidir à eucaristia (cf. CIC 1348).

Como é celebrada a eucaristia?

As linhas fundamentais seguem o relato elaborado pelo mártir São Justino, por volta do ano 155 (século II), reproduzido no número 1345 do Catecismo da Igreja Católica. O ritual compõe-se de duas partes principais (Liturgia da Palavra e Liturgia Eucarística) precedidas por uma introdução (Ritos Iniciais) e seguidas de uma conclusão (Ritos Finais). O Catecismo Jovem da Igreja Católica (YOUCAT) resume numa pergunta: «Como está organizada a Santa Missa? A Santa Missa começa com a reunião dos crentes e com a entrada do sacerdote e dos ministros do altar (acólitos, leitores, etc.). Após a saudação, faz-se a confissão geral (ato penitencial), que culmina no Kyrie. Nos domingos (exceto no Advento e na Quaresma) e nas festas canta-se ou diz-se o Glória. A oração coleta introduz uma ou duas leituras do Antigo e/ou do Novo Testamento. Antes do Evangelho, tem lugar a sua aclamação (Aleluia). Depois de anunciar o Evangelho, o sacerdote ou o diácono faz uma reflexão (Homilia), especialmente nos domingos e nos dias solenes. Igualmente nestes dias, a comunidade faz a sua profissão de fé comum mediante o Credo, a que se seguem as orações de intercessão (oração universal). A segunda parte da Santa Missa começa com a preparação dos dons (oblatas), que é rematada com a oração sobre as oblatas. O zénite da celebração é a Oração Eucarística, introduzida pelo prefácio e pelo Santo. Então, os dons do pão e do vinho são convertidos no corpo e no sangue de Cristo. A Oração Eucarística desemboca na doxologia, que faz a ponte para a Oração do Senhor (Pai Nosso). Segue-se a oração pela paz, o Agnus Dei, a fração do pão e a oferta dos dons sagrados aos crentes, o que em regra acontece apenas com o corpo de Cristo. A Santa Missa termina com um tempo de silêncio orante, uma ação de graças, uma oração pós-comunhão e a bênção pelo sacerdote» (número 214).

Quando se celebra a eucaristia?

A Igreja Católica propõe a celebração diária da eucaristia. No entanto, «a Igreja impõe aos fiéis a obrigação de ‘participar na divina liturgia nos domingos e dias de festa’ e de receber a Eucaristia ao menos uma vez em cada ano, se possível no tempo pascal preparados pelo sacramento da Reconciliação. Mas recomenda-lhes vivamente que recebam a santa Eucaristia aos domingos e dias de festa, ou ainda mais vezes, mesmo todos os dias» (CIC 1389).

Onde se pode celebrar a eucaristia?

O lugar próprio é o templo sagrado, embora se possa admitir outro lugar devidamente preparado (cf. tema 5).

«Em cada etapa da história da Igreja, a celebração eucarística, enquanto fonte e ápice da sua vida e missão, resplandece no rito litúrgico em toda a sua multiforme riqueza» (Bento XVI, Exortação Apostólica sobre a Eucaristia fonte e ápice da vida e da missão da Igreja — «Sacramentum Caritatis», 3).






Reflexões semanais sobre a «fé celebrada» (liturgia e Sacramentos) — Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 6.2.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários