REZAR O DOMINGO TERCEIRO

26 DE JANEIRO DE 2014


Evangelho segundo Mateus 4, 12-23

Quando Jesus ouviu dizer que João Batista fora preso, retirou-Se para a Galileia. Deixou Nazaré e foi habitar em Cafarnaum, terra à beira-mar, no território de Zabulão e Neftali. Assim se cumpria o que o profeta Isaías anunciara, ao dizer: «Terra de Zabulão e terra de Neftali, estrada do mar, além do Jordão, Galileia dos gentios: o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam na sombria região da morte, uma luz se levantou». Desde então, Jesus começou a pregar: «Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos Céus». Caminhando ao longo do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André, que lançavam as redes ao mar, pois eram pescadores. Disse-lhes Jesus: «Vinde e segui-Me e farei de vós pescadores de homens». Eles deixaram logo as redes e seguiram-n’O. Um pouco mais adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam no barco, na companhia de seu pai Zebedeu, a consertar as redes. Jesus chamou-os e eles, deixando o barco e o pai, seguiram-n’O. Depois começou a percorrer toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, proclamando o Evangelho do reino e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo.



Segunda, 20: RETIROU-SE

João Batista, que pregava no deserto, fazia reparos à maneira de viver de Herodes e da sua corte. Por isso, foi preso. Quando Jesus toma conhecimento da prisão do seu primo, retira-se para a Galileia, provavelmente com medo de ser também importunado por Herodes. Rezo por todos os homens e mulheres que estão em perigo por defenderem as suas opiniões, agindo em nome da justiça e da paz.



Terça, 21: ESCUTA

Jesus retirou-se, afastou-se para recuperar. Abre o livro das Escrituras e escuta a palavra do profeta Isaías: «o povo que andava nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam na sombria região da morte, uma luz se levantou». Acolho estas palavras como Cristo as acolheu: um convite a ser luz para o mundo, onde vivemos e trabalhamos, humildemente.



Quarta, 22: TESTEMUNHA

A partir deste momento, como já tinha feito João Batista, Jesus começa a pregar: «Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos Céus». Hoje, compete-nos a nós dizê-lo e fazê-lo. É nas conversas, nos encontros, aproveitando as situações normais que testemunharemos o Reino que vem. Para viver assim, abro o meu coração à sua presença.



Quinta, 23: 

Numa bela manhã solarenga, Jesus caminha pela margem do lago. Vê dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e seu irmão André, que consertam as redes. É assim, no meio da nossa vida e das nossas tarefas, que Cristo vem ao nosso encontro: um dia, uma manhã, uma tarde ou ao meio dia, quando menos se espera. Faço memória desse instante em que Cristo fala para mim.



Sexta, 24: CHAMA

«Levanta-te. Ele chama por ti!». Recordamos este versículo extraordinário que narra como os discípulos transmitiram a um cego o chamamento de Cristo. Muitas vezes, é assim que se passa. Quanto estamos na escuridão, na dúvida, parados na berma do caminho, alguém passa, fala para nós, encoraja-nos e ajuda-nos a continuar o nosso caminho (em nome de Cristo?). Espantoso! Disponho-me a anunciar esta Boa Nova.



Sábado, 25: CURA

Hoje, celebramos a festa da Conversão de São Paulo. Ele coloca-se no caminho dos discípulos de Jesus que, a partir da Galileia, ensinavam nas sinagogas, proclamavam a Boa Nova, curavam os doentes e todas as enfermidades. Paulo quis matá-los, mas Jesus vem ao seu encontro para o curar da cegueira. Então, Paulo converteu-se e começou a ver as coisas de uma outra maneira. Hoje, reconheço a minha enfermidade, como Paulo, e olho para as coisas de uma outra maneira.



Domingo, 26: JESUS CONSOLA

Deixemo-nos transformar por Jesus Cristo que levanta, consola e cura. Com Ele, como Ele, e no seu encalço, seremos sal da terra e luz do mundo. Seguimo-lo ao longo desta semana e vimo-lo retirar-se para a Galileia, para fazer retiro, para escutar os Profetas, para testemunhar um Deus que é e está sempre próximo. Seguimo-lo nas margens do lado, e vimo-lo a chamar os seus primeiros discípulos e a partir com eles pelos caminhos, curando os doentes. É o caminho que agora se apresenta diante de nós. Podemos perguntar o que é que isso significa para nós, hoje. Acolhamos uma vez mais este evangelho e procuremos perceber as circunstâncias em que Jesus Cristo nos reúne e nos fala. Ele convida a reunirmo-nos na Galileia, lá onde nos precede sempre.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014

Rezar o domingo terceiro (Ano A), no Laboratório da fé, 2014
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 20.1.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários