REZAR O DOMINGO DA APRESENTAÇÃO DE JESUS

2 DE FEVEREIRO DE 2014


Evangelho segundo Lucas 2, 22-40


Ao chegarem os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor, como está escrito na Lei do Senhor: «Todo o filho primogénito varão será consagrado ao Senhor», e para oferecerem em sacrifício um par de rolas ou duas pombinhas, como se diz na Lei do Senhor. Vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão, homem justo e piedoso, que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava nele. O Espírito Santo revelara-lhe que não morreria antes de ver o Messias do Senhor; e veio ao templo, movido pelo Espírito. Quando os pais de Jesus trouxeram o Menino para cumprirem as prescrições da Lei no que lhes dizia respeito, Simeão recebeu-O em seus braços e bendisse a Deus, exclamando: «Agora, Senhor, segundo a vossa palavra, deixareis ir em paz o vosso servo, porque os meus olhos viram a vossa salvação, que pusestes ao alcance de todos os povos: luz para se revelar às nações e glória de Israel, vosso povo». O pai e a mãe do Menino Jesus estavam admirados com o que d’Ele se dizia. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua Mãe: «Este Menino foi estabelecido para que muitos caiam ou se levantem em Israel e para ser sinal de contradição; – e uma espada trespassará a tua alma – assim se revelarão os pensamentos de todos os corações». Havia também uma profetiza, Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada e tinha vivido casada sete anos após o tempo de donzela e viúva até aos oitenta e quatro. Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia, com jejuns e orações. Estando presente na mesma ocasião, começou também a louvar a Deus e a falar acerca do Menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. Cumpridas todas as prescrições da Lei do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré. Entretanto, o Menino crescia e tornava-Se robusto, enchendo-Se de sabedoria. E a graça de Deus estava com Ele.



Segunda, 27: AGRADECER SEMPRE

Que maior alegria pode haver do que acolher uma criança! o rito um pouco formal da purificação é uma ocasião para José e Maria agradecer ao Senhor pelo dom do seu filho. Assim, mais do que uma lei a cumprir, trata-se de entrar numa atitude de gratidão. Disponho de tempo para dar graças a Deus pelos pequenos e pelos grandes presentes da minha vida? Que gestos posso inventar para lhe dizer obrigado?



Terça, 28: RECONHECER DEUS

Há muita gente em Jerusalém: seguramente, outros casais que vêm apresentar o filho, muitos peregrinos e habitantes, e depois um certo Simeão. É no coração da multidão que vai reconhecer quem ele espera. Pela intercessão de São Tomás de Aquino, que hoje celebramos, peço a graça de reconhecer os traços de Deus nos encontros e nos acontecimentos.



Quarta, 29: DEIXAR-SE INSPIRAR

Por três vezes, o Espírito Santo é nomeado em relação a Simeão. O Espírito «estava nele», expressão do livro de Isaías (61, 1), que Jesus vai aplicar a si mesmo no início do seu ministério, em Nazaré. Posso-me interrogar sobre como deixar que o Espírito Santo inspire as minhas palavras e as minhas ações. Peço-lhe a sua força, em especial para as situações mais difíceis que estou a viver.



Quinta, 30: CANTAR COM O CORAÇÃO

Lucas, narrador da cena, é frequentemente chamado de evangelista da alegria. Isto porque, nos textos iniciais, a vinda do Senhor suscita o canto jubiloso de numerosos protagonistas: Maria na visita a Isabel, Zacarias aquando do nascimento de João, os anjos, os pastores e, claro, Simeão. Faço minhas estas palavras e canto-as à minha maneira.



Sexta, 31: ACEITAR O COMBATE

A alegria não impede o combate; e as palavras que Simeão dirige a Maria são ásperas: o caminho da cruz começa por ela. Posso pensar em todos os parentes que sofrem e que se sentem incapazes perante o que atravessam os seus filhos. Que a força tranquila de Maria seja o seu apoio.



Sábado, 1: LOUVAR E TESTEMUNHAR

Simeão não é o único a reconhecer o Senhor. Há também Ana. Da mesma forma, começa a falar dele aos que estão ao seu redor. Como no sepulcro, é uma mulher que convida os outros a entrar na alegria. Confio a Deus todas as mulheres — e, claro, também todos os homens — que me ajudaram a melhor conhecer e amar o Senhor.



Domingo, 2: SERVIR A DEUS COM PAIXÃO

A festa da Apresentação de Jesus no Templo foi escolhida para agradecer ao Senhor por todos aqueles e aquelas (monges, religiosos, eremitas, consagrados...) que, como Ana, passam o tempo a rezar e, de uma maneira especial, a servir a Deus e aos seus irmãos. Nem sempre estamos familiarizados nem confortáveis com esse estilo de vida. Porque fizeram essa opção? Como é que vivem? Quais são os consagrados e as comunidades que conheço? Somos convidados a rezar por essas comunidades e a ter coragem para ir ao seu encontro. A sua opção de vida coloca-me diante das minhas próprias opções. Peço ao Senhor que ilumine o meu caminho e me ajude a crescer em sabedoria e graça como o Menino Jesus.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014


Rezar o domingo da Apresentação de Jesus (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 27.1.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários