REZAR O DOMINGO SEGUNDO

19 DE JANEIRO DE 2014


Evangelho segundo João 1, 29-34

Naquele tempo, João Baptista viu Jesus, que vinha ao seu encontro, e exclamou: «Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. É d’Ele que eu dizia: ‘Depois de mim vem um homem, que passou à minha frente, porque era antes de mim’. Eu não O conhecia, mas foi para Ele Se manifestar a Israel que eu vim baptizar na água». João deu mais este testemunho: «Eu vi o Espírito Santo descer do Céu como uma pomba e permanecer sobre Ele. Eu não O conhecia, mas quem me enviou a batizar na água é que me disse: ‘Aquele sobre quem vires o Espírito Santo descer e permanecer é que baptiza no Espírito Santo’. Ora, eu vi e dou testemunho de que Ele é o Filho de Deus».



Segunda, 13: JOÃO E JESUS

Poderemos meditar nesta passagem sem a situar no contexto do início do evangelho segundo João? Se tenho tempo, leio a parte do primeiro capítulo (João 1, 1-34) que se refere a Jesus e a João Batista. No texto que nos é proposto, assistimos a um encontro entre os dois, João admite que não conhecia Jesus. Não é seu primo? Sem dúvida, mas tem de o conhecer de outra maneira, com o coração; é também assim que nós temos de conhecer Jesus. Para me deixar guiar nesta descoberta, posso rezar com as palavras usadas pelo evangelista: Senhor, tu és o Verbo, a vida, a luz, o Cordeiro de Deus... ensina-me a conhecer-te com o coração.



Terça, 14: JOÃO, O PROFETA

Diz-se que João Batista é o último dos profetas. O profeta é aquele que «vê» antes dos outros (verbo utilizado 4 vezes) e compreende o sentido das coisas. O que vê João Batista? Vê Jesus que vem ao seu encontro, vê o Espírito descer e permanecer sobre Jesus enquanto o batiza. Inspirado pelo Espírito, compreende que Jesus vem de Deus. Pelo Batismo, cada cristão recebe o Espírito Santo e torna-se, à sua maneira, um profeta. Ensina-me, Senhor, a «ver» os sinais da tua presença em mim e à minha volta.



Quarta, 15: JESUS, O CORDEIRO DE DEUS

«Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo». À custa de tanto a escutar na liturgia, esta frase já não nos interpela. Mas será que percebemos verdadeiramente o peso destas palavras? Jesus é o homem das dores que transportou os nossos sofrimentos, a ovelha muda de que fala o profeta Isaías (53, 3-7) e o cordeiro pascal (Êxodo 12, 1-28). Iluminado pelo Espírito, João entrevê que Jesus é aquele de quem fala a Escritura. Ao pronunciar estas palavras na Eucaristia, pedirei ao Senhor a graça de penetrar melhor no mistério do Cordeiro que carrega o mal para nos resgatar.



Quinta, 16: JOÃO, O ENVIADO

Unimo-nos à forma como João Batista descobriu quem era Jesus. Com efeito, ele próprio faz-nos participantes ao dizer: «Quem me enviou a batizar na água é que me disse»... João sente-se enviado por Deus e escuta a sua palavra. Existe uma ligação profunda entre a escuta de Deus e o conhecimento interior que ele tem sobre Jesus. Não será também assim connosco, batizados? Senhor, tu envias-me a anunciar a boa nova; ensina-me a colocar-me sempre mais à escuta da tua Palavra.



Sexta, 17: JOÃO, O TESTEMUNHA

Se João Batista é um enviado, é também um testemunha. Isto está dito ao longo de todo o primeiro capítulo do evangelho segundo João. Ele veio para dar testemunho de um outro. E sabemos aonde é que esse testemunho o vai conduzir, pois morrerá mártir — que é a tradução grega da palavra «testemunha». Jesus também nos pede para sermos testemunhas, nas nossas relações familiares, de vizinhança, de amizade. e isso leva-nos, às vezes, a assumir riscos. Senhor, dá-me o teu Espírito de fortaleza para que eu seja uma testemunha corajosa.



Sábado, 18: JESUS, O FILHO DE DEUS

Ao ver Jesus e ao deixar-se iluminar pelo Espírito, João Batista penetra no mistério de Deus. Ousa dizer de Jesus: «Ele é o Filho de Deus». A sua profunda convicção é ditada pela proximidade com Aquele que o enviou a batizar. Fixo-me em mim e pergunto-me sobre quem é Jesus para mim e quais são as palavras que uso para falar dele aos outros. Espírito de Jesus, dá-me as palavras que toquem os corações deste nosso tempo.



Domingo, 19: ENVIADO EM MISSÃO

Hoje, é domingo! É o dia em que somos convidados para a mesa do Senhor, a fim de partilhar a sua Palavra e o seu Pão. Não é um lugar privilegiado para aprofundar, em Igreja, o nosso conhecimento de Jesus e a nossa intimidade com ele? Tal como João Batista, estamos situados entre Jesus que aprendemos a conhecer e os nossos irmãos aos quais somos enviados. Na primeira leitura deste dia (Isaias 49, 5-6) é-nos oferecida uma palavra luminosa para este envio missionário: «Vou fazer de ti a luz das nações, para que a minha salvação chegue até aos confins da terra». Deixemo-la ecoar dentro de nós e não hesitemos em «mastigá-la» ao longo do dia para a saborear e para nos deixarmos alimentar por ela.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2014

Rezar o domingo segundo (Ano A), Laboratório da fé, 2014
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 13.1.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários