Mistério da fé! [14]


A Confirmação associa a si aspetos que devem ser tidos em conta, na preparação, na celebração e até depois da celebração. Quem, como, quando e onde — são questões que sintetizam alguns desses pontos. [Para ajudar a compreender melhor, ler: Atos dos Apóstolos 19, 1-7; Catecismo da Igreja Católica (CIC), números 1297 a 1301 e 1306 a 1314]

«Recebeste o Espírito Santo quando abraçaste a fé?»

— pergunta Paulo ao chegar a Éfeso, segundo o relato dos Atos dos Apóstolos. E, depois de celebrar o Batismo «em nome do Senhor Jesus», Paulo impôs-lhes as mãos e «o Espírito Santo desceu sobre eles». Embora não se fale especificamente da Confirmação, a Igreja lê nestes relatos, o fundamento bíblico do Sacramento. «Aqueles que então acreditaram na pregação apostólica, e se fizeram batizar, receberam, por seu turno, o dom do Espírito Santo» (CIC 1287).

Quem pode ser confirmado?

«Todo o batizado ainda não confirmado pode e deve receber o sacramento da Confirmação [...], porque, sem a Confirmação e a Eucaristia, o sacramento do Batismo é, sem dúvida, válido e eficaz, mas a iniciação cristã fica incompleta» (CIC 1306). Este Sacramento só pode ser celebrado «uma vez na vida», porque imprime, no cristão, «um sinal espiritual ou carácter indelével» (CIC 1317).

Quem pode confirmar?

«O Sacramento da Confirmação é normalmente presidido pelo bispo. Por razões pastorais, o bispo pode incumbir determinado sacerdote de o celebrar. Em caso de morte, qualquer sacerdote o pode fazer» (Catecismo Jovem da Igreja Católica [YOUCAT], 207).

Como é celebrada a confirmação?

A Igreja prevê duas possibilidades relacionadas com a idade da celebração do Batismo. Quando se celebra o Batismo em criança (nos primeiros anos de vida ou nas crianças e adolescentes em idade de catequese — cf. tema 10), o Sacramento da Confirmação inclui a renovação das promessas do Batismo e a profissão de fé. «Assim se evidencia claramente que a Confirmação se situa na continuação do Batismo» (CIC 1298). No caso de se tratar de jovens ou adultos ainda não batizados, faz-se de acordo com o Ritual da Iniciação Cristã dos Adultos (RICA), que inclui os três Sacramentos da Iniciação Cristã numa única celebração, normalmente na Vigília Pascal: Batismo, Confirmação, Eucaristia (cf. tema 7). Em qualquer dos casos, existe uma parte comum à celebração da Confirmação: a imposição das mãos com a invocação do Espírito Santo sobre os confirmandos; a unção com o óleo do santo crisma na fronte acompanhada das palavras: «[Nome de batismo] recebe por este sinal o Espírito Santo, o Dom de Deus»; o ósculo da paz. A explicação destes sinais e símbolos será apresentada no próximo tema.

Quando se pode confirmar?

O Código de Direito Canónico (891) refere a «idade da discrição» como momento adequado para a celebração da Confirmação. O Ritual aponta uma idade próxima dos «sete anos». Mas acrescenta: «Todavia, por motivos pastorais, sobretudo para inculcar na vida dos fiéis um sentido mais profundo da plena adesão a Cristo Senhor e de firme testemunho dos cristãos, as Conferências Episcopais podem determinar outra idade que pareça mais adequada, de maneira que este sacramento seja conferido em idade mais adulta, depois de conveniente preparação» (Ritual da Confirmação. Preliminares, 11). Em Portugal, seguindo o plano de catequese da infância e adolescência, a idade para a Confirmação situa-se nos 15 ou 16 anos (décimo ano de catequese). Convém esclarecer que «não existe uma idade fixa para se receber a Confirmação. O que se exige do candidato é a maturidade espiritual, isto é, a capacidade de deixar o Espírito Santo agir dentro e fora dele. É um tanto difícil que haja maturidade espiritual, por exemplo, aos doze anos. Não nos devemos preocupar com a idade que o candidato tem. O que se exige dele é que esteja habilitado a viver para Deus, no Espírito» (José Bortolini, «Os Sacramentos na tua vida», São Paulo, Lisboa 1995, 44).

Onde se pode confirmar?

No caso dos jovens ou adultos (não batizados), que celebram os três Sacramentos da Iniciação Cristã, o lugar aconselhado é a Sé Catedral, durante a Vigília Pascal. Em relação aos adolescentes que já celebraram o Batismo e a Eucaristia, a celebração acontece na igreja paroquial ou numa igreja da zona pastoral.

«A força do Espírito não cessa jamais de encher de vida a Igreja. [...] Esta força flui também no nosso íntimo como um rio subterrâneo que alimenta o espírito e nos atrai e aproxima cada vez mais da fonte da nossa verdadeira vida, que é Cristo». (Bento XVI, Homilia a 20 de julho de 2008).






Reflexões semanais sobre a «fé celebrada» (liturgia e Sacramentos) — Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 9.1.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários