CELEBRAR O DOMINGO DO BATISMO DE JESUS

UMA LITURGIA SIMPLES E BELA

Apresentamos algumas sugestões para concretizar o fruto esperado deste ano pastoral: «uma liturgia simples e bela, sinal da comunhão entre Deus e os seres humanos».



A identidade do Filho de Deus

A Escritura esboça o retrato do Salvador. Reconhecêmo-lo nos traços do «Servo» apresentado pelo profeta Isaías, dirigindo uma mensagem de consolação ao seu povo. Depois, o Salvador é-nos apresentado como «Senhor de todos», no discurso de Pedro, em Cesareia. Pedro faz referência ao batismo de Jesus no rio Jordão, quando se revela a identidade do Filho de Deus e a presença do Espírito Santo em Jesus Cristo. Verdadeira revelação trinitária, o Batismo inaugura o ministério público de Jesus Cristo.



Arte de celebrar

ÁGUA. Há celebrações que reclamam um gesto simbólico que faça lembrar o Sacramento do Batismo. É o caso da celebração litúrgica do Batismo de Jesus. O rito de aspersão pode ser um desses gestos. Em assembleias de pequenas dimensões, pode-se propor que cada um se desloque junto da fonte batismal para mergulhar a mão na água e traçar sobre si o sinal da cruz. Em qualquer caso, os objetos usados devem ser belos e o gesto realizado tem de ser significativo. Exemplo: colocar um grande e belo vaso com água entre o altar e o ambão ou noutro local de fácil visibilidade. Na celebração, retira-se a água para um recipiente mais pequeno, do qual se vai lançando água sobre a assembleia enquanto se entoa um cântico batismal. Outra hipótese será retirar a água para vários recipientes pequenos que serão distribuídos pela assembleia, para que cada um mergulhe a mão e trace sobre si o sinal da cruz.



Fé celebrada com a comunidade

  • Sinal da Cruz. Na celebração do Batismo, fomos assinalados com o Sinal da Cruz. Ao iniciarmos a oração, traçamos somos nós o Sinal da Cruz. Neste domingo, no início da celebração, uma breve frase pode ajudar a interiorizar melhor este gesto: «Tracemos sobre nós o Sinal da Cruz pensando no nosso Batismo».
  • Aspersão. Na celebração do Batismo, fomos «mergulhados» na vida nova de Jesus Cristo. «O domingo, com efeito, é o dia em que, mais do que qualquer outro, o cristão é chamado a lembrar a salvação que lhe foi oferecida no batismo e que o tornou homem novo em Cristo. [...] A liturgia põe em evidência esta dimensão batismal do domingo [...] sugerindo, como oportuno rito penitencial no início da Missa, a aspersão com a água benta, que evoca precisamente o evento batismal em que nasce toda a existência cristã» (João Paulo II, Carta Apostólica sobre a santificação do domingo — «O dia do Senhor» [«Dies Domini»], 25).



Fé celebrada com a catequese

A leitura do evangelho e uma breve partilha a partir dos versículos finais — «Logo que Jesus foi baptizado, saiu da água. Então, abriram-se os céus e Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele. E uma voz vinda do céu dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência» — ajuda as crianças a descobrir Deus Pai (a voz), Deus Filho (Jesus), Deus Espírito Santo (pomba). Nós somos batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. E, ao longo da vida, traçamos sobre nós o Sinal da Cruz para recordar o nosso Batismo.

© Laboratório da fé, 2014

Celebrar o domingo do Batismo de Jesus (Ano A), no Laboratório da fé, 2014

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 11.1.14 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários