PREPARAR O DOMINGO QUARTO DE ADVENTO

22 DE DEZEMBRO DE 2013


Isaías 7, 10-14

Naqueles dias, o Senhor mandou ao rei Acaz a seguinte mensagem: «Pede um sinal ao Senhor teu Deus, quer nas profundezas do abismo, quer lá em cima nas alturas». Acaz respondeu: «Não pedirei, não porei o Senhor à prova». Então Isaías disse: «Escutai, casa de David: Não vos basta que andeis a molestar os homens para quererdes também molestar o meu Deus? Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: a virgem conceberá e dará à luz um filho e o seu nome será Emanuel».



Casa de David

Todos os descendentes do grande rei David. A palavra «casa» pode substituir-se por «família» ou «familiares».

Emanuel

O rei Acaz está ameaçado pelos seus vizinhos. A cidade de Jerusalém está cercada, mas, apesar disso, há uma boa notícia: a sua esposa espera um bebé. Isaías deseja que seja um governante de acordo com a vontade de Deus. Na realidade, este príncipe não será um bom rei. Os cristãos interpretam a promessa de Isaías, numa outra perspetiva. Para nós, esse rei tão esperado é Jesus. Graças a Jesus, Deus está connosco. É o que significa o nome «Emanuel» que também foi atribuído a Jesus.



Deus está connosco

O rei Acaz teme uma invasão vinda do norte e analisa as suas defesas. O profeta Isaías, para quem Deus é a única defesa que pode valer, provoca-o. O profeta vê na gravidez da jovem rainha um sinal da proteção ativa de Deus. Com a criança que vai nascer, Deus assegura um futuro para o seu povo. A vinda dessa criança mostra que «Deus está connosco», que não abandona o seu povo. Esta história relida e reatualizada ao longo dos séculos vai confortar e alimentar a garantia da vinda de um rei ou messias, segundo o coração de Deus, para salvar o seu povo. Os cristãos identificam Jesus com o rei e messias esperado.



Deus surpreende-nos sempre

Esta passagem retirada do «livro do Emanuel» (Isaías 7, 1 — 9, 6) prepara o terreno para o evangelho deste quarto domingo de Advento (Ano A): Mateus 1, 18-24. Mateus verá o cumprimento da profecia de Isaías (7, 14) no anúncio do nascimento de Jesus. Mas, no contexto histórico da época, esta profecia não é o anúncio da vinda do Messias. Numa altura em que Jerusalém está rodeada pelos exércitos vizinhos dos reis da Síria e da Samaria, o jovem rei Acaz é interpelado pelo profeta: «Pede um sinal ao Senhor teu Deus» (versículo 11). Acaz recusa com o pretexto de não querer pôr «o Senhor à prova». Então, o próprio Deus dá-lhe um sinal: o nascimento próximo de um filho. No espírito da profecia, trata-se, sem dúvida, de Ezequias, filho de Acaz (cf. Isaías 9, 5-6; 2Reis 18 — 20). Para nós, que lemos este texto a três dias do Natal, a questão que se coloca é a seguinte: estamos preparados para acolher o sinal que nos é dado por Deus?



© Laboratório da fé, 2013



  • Celebrar o domingo a partir da primeira leitura: Isaías 7, 10-14 > > >



Preparar o domingo quarto de Advento (Ano A), no Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 21.12.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários