Quarta-feira da segunda semana de advento


Isaías 40, 25-31

«A quem Me comparareis que seja semelhante a Mim? – diz o Deus Santo – Erguei os olhos para o alto e olhai. Quem criou estas estrelas? Aquele que as conta e as faz marchar como um exército e as chama a todas pelos seus nomes. Tal é a sua força e tão grande é o seu poder, que nenhuma falta à chamada. Jacob, porque dizes; Israel, porque afirmas: ‘O meu destino está oculto ao Senhor e a minha causa passa despercebida ao meu Deus’? Não o sabes, não o ouvistes dizer? O Senhor é um Deus eterno, criador da terra até aos seus confins. Ele não Se cansa nem Se fatiga e a sua inteligência é insondável. Dá força ao que anda exausto e vigor ao que anda enfraquecido. Os jovens cansam-se e fatigam-se e os adultos tropeçam e vacilam. Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, formam asas como as águias. Correm sem se fatigarem, caminham sem se cansarem».


Dá força ao que anda exausto

Em todas as realidades da vida, reconhecemos os vencedores pela sua persistência e capacidade de ir até ao máximo dos seus limites. Até se costuma dizer: há neles uma força suplementar, fazem um duplo esforço. É assim que se identifica o estofo dos campeões ou dos génios. Parece que são movidos por uma força especial, que nasce da paixão, do empenho com que se dedicam, do desejo em atingir determinado objetivo. Há quem fique admirado por tais capacidades, mas os próprios sentem verdadeiramente essa experiência de se superarem positivamente. Diz-se: «quem corre por gosto não (se) cansa».
O profeta Isaías anuncia que Deus é a fonte dessa motivação suplementar: «dá força ao que anda exausto». Até os jovens e os mais valentes se cansam ou podem ser vencidos. Mas quem conta com o auxílio de Deus, quem põe em Deus a sua esperança, experimenta esse alento suplementar: forma asas como as águias, corre sem se fatigar, caminha sem se cansar.
Todos nós conhecemos pessoas que nos deixam boquiabertos, admirados com a sua disponibilidade e dedicação. De onde lhes vem essa capacidade?! Deus faz nascer em nós essa força para enfrentar (positivamente) os desafios da vidaA esperança em Deus é um trampolim, não só para uma vida nova, mas também para uma vida renovada, transformada pela dinâmica do amor e da alegria. 

© Laboratório da fé, 2013



  • Reflexão proposta em 2012 a partir do evangelho (Mateus 11, 28-30) > > >



Quarta-feira da segunda semana de Advento, Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 11.12.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários