REZAR O DOMINGO TRIGÉSIMO PRIMEIRO

3 DE NOVEMBRO DE 2013

Evangelho segundo Lucas 19, 1-10

Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade. Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos. Procurava ver quem era Jesus, mas, devido à multidão, não podia vê-l’O, porque era de pequena estatura. Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro, para ver Jesus, que havia de passar por ali. Quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa». Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria. Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo: «Foi hospedar-Se em casa dum pecador». Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo: «Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais». Disse-lhe Jesus: «Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho de Abraão. Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido».



Segunda, 28: SIMÃO E JUDAS

Jesus atravessa a cidade de Jericó acompanhado por alguns discípulos, Simão de Caná, Judas de Nazaré... que a Igreja celebra hoje. O grupo assim constituído viaja a pé, de cidade em cidade, rebuscando ao longo dos dias o seu alimento, vivendo ao ritmo do acolhimento feito pelas pessoas que encontram. Como Simão e Judas, que seguiram Jesus Cristo, entremos neste grupo dos discípulos, caminhemos com eles pelas ruas de Jericó, atravessando a cidade, entrando na aldeia vizinha. Contemplo a cena e entro em diálogo com cada um deles: Simão, Judas e Jesus.



Terça, 29: ZAQUEU

Zaqueu era um funcionário rico, chefe dos cobradores de impostos. Ouviu falar de Jesus e queria vê-lo. Não o conseguia por causa da multidão, pois era de pequena estatura. Vêmo-lo correr para diante e subir a um sicómoro, como fazem as crianças. Atraído(a) por Deus para ver Jesus Cristo (Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o atrair — João 6, 44), como Zaqueu, procuro o tempo, a distância e a altura necessárias para ver Jesus. Contemplo a cena e entro em diálogo com Zaqueu para que me deixe também subir à árvore.



Quarta, 30: JESUS CRISTO

Ao chegar ao local onde Zaqueu se encontra, Jesus olha para cima e interpela-o: «Zaqueu, desde depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa. Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria». Todos ficaram surpreendidos ao ver que o desejo de Zaqueu foi concretizado tão facilmente. É assim que se passa de cada vez que nos colocamos disponíveis para acolher. Hoje, recordo este encontro, os olhares que se cruzam, as palavras de Jesus, a rapidez do acolhimento, o entusiasmo em recebê-lo no mais íntimo de si mesmo, a alegria de escutar a sua Palavra.



Quinta, 31: AMBIENTE

Ao ver Jesus entrar na casa de Zaqueu, todos criticaram: «Foi hospedar-Se em cada de um pecador». Embora possamos estar habituados a este tipo de reações no dia a dia, talvez fiquemos surpreendidos com um julgamento tão unânime e radical sobre Zaqueu. Refletindo calmamente, tendo em conta a inveja, podemos tentar moderar um pouco o ataque. Entro na casa de Zaqueu, como se tivesse sido convidado, estabeleço conversação para perceber os argumentos e procuro tirar consequências para as atuais situações.



Sexta, 1: TODOS OS SANTOS

Hoje, solenidade de Todos os Santos. Tomemos o exemplo de Zaqueu que aponta claramente o seu caminho de santidade ao dizer: «Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais». Podemos pensar que não interfere connosco: outro tempo, outros costumes, outras realidades, outro mundo... Que tolice! Tomo tempo para perceber o que representa esta forma de relacionamento e dom de si. Depois, pergunto-me qual é, ou qual pode ser, hoje, para mim, o caminho da santidade.



Sábado, 2: OS DEFUNTOS

No dia 2 de novembro, a Igreja Católica coloca os defuntos no coração da sua oração litúrgica; e, assim, recorda-nos que há em Cristo morto e ressuscitado uma mútua ligação e solidariedade entre os vivos e os mortos de todos os tempos. Escutemos, nesta perspetiva, o que Jesus diz a Zaqueu: ««Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho de Abraão. Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido». Em união com toda a Igreja, hoje, rezo «para Glória de Deus e Salvação do Mundo».



Domingo, 3: REZAR É ACREDITAR

Esta semana com Zaqueu e com os discípulos de Jesus foi rica em encontros: Simão e Judas; Zaqueu, claro; Jesus Cristo; o ambiente; Todos os Santos; os mortos; mas também aqueles e aquelas com quem vivemos, nossos contemporâneos, toda a humanidade. Estamos unidos a todos eles, através do tempo e do espaço, em grande comunhão. Com Zaqueu, humilde servo (embora funcionário rico!), podemos encontrar Cristo Ressuscitado que nos precede e nos congrega diariamente em nossa casa: «Hoje, devo ficar em tua casa». Na eucaristia deste domingo, entoemos estas palavras como um refrão; e deixemo-nos invadir pela presença de Cristo e pela alegria que transborda do nosso coração.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013

Rezar o domingo trigésimo primeiro (Ano C), no Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 28.10.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários