PREPARAR O DOMINGOvigésimo quinto domingo

22 DE SETEMBRO DE 2013

Evangelho segundo Lucas 16, 1-13

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Um homem rico tinha um administrador, que foi denunciado por andar a desperdiçar os seus bens. Mandou chamá-lo e disse-lhe: ‘Que é isto que ouço dizer de ti? Presta contas da tua administração, porque já não podes continuar a administrar’. O administrador disse consigo: ‘Que hei-de fazer, agora que o meu senhor me vai tirar a administração? Para cavar não tenho força, de mendigar tenho vergonha. Já sei o que hei-de fazer, para que, ao ser despedido da administração, alguém me receba em sua casa’. Mandou chamar um por um os devedores do seu senhor e disse ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu senhor?’. Ele respondeu: ‘Cem talhas de azeite’. O administrador disse-lhe: ‘Toma a tua conta: senta-te depressa e escreve cinquenta’. A seguir disse a outro: ‘E tu quanto deves?’. Ele respondeu: ‘Cem medidas de trigo’. Disse-lhe o administrador: ‘Toma a tua conta e escreve oitenta’. E o senhor elogiou o administrador desonesto, por ter procedido com esperteza. De facto, os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz, no trato com os seus semelhantes. Ora Eu digo-vos: Arranjai amigos com o vil dinheiro, para que, quando este vier a faltar, eles vos recebam nas moradas eternas. Quem é fiel nas coisas pequenas também é fiel nas grandes; e quem é injusto nas coisas pequenas também é injusto nas grandes. Se não fostes fiéis no que se refere ao vil dinheiro, quem vos confiará o verdadeiro bem? E se não fostes fiéis no bem alheio, quem vos entregará o que é vosso? Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque, ou não gosta de um deles e estima o outro, ou se dedica a um e despreza o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro».



Segunda, 16: DINHEIRO

Esta semana, o evangelho convida a colocar a questão sobre a nossa relação com o dinheiro. Começo a minha semana de oração com uma nota na mão, ou então com um cartão de crédito, ou ainda com um livro de cheques. Senhor, ensina-me a reconhecer a força enganadora do dinheiro e a servir-te, porque somente tu és o Mestre que nunca me engana.



Terça, 17: HABILIDADE

Coloco algum dinheiro (notas e/ou moedas) diante de mim. Leio a parábola do evangelho, onde Jesus Cristo parece elogiar a habilidade do administrador. Deixo-me surpreender: Senhor, porque me dizes para ser também habilidoso, embora seja uma comportamentos pouco recomendável dos «filhos deste mundo»?



Quarta, 18: FAZER AMIGOS

Realmente, o que interessa a Jesus Cristo é a nossa capacidade para fazer amigos, mesmo que seja com o dinheiro que é (sempre) enganador. Aproveito esta bela ocasião para rezar pelos meus atuais amigos e pelos que virão a ser graças à minha nova habilidade evangélica!



Quinta, 19: CONFIANÇA

Na verdade, a parábola do administrador não é apenas uma questão de dinheiro, mas uma questão de confiança. Escuto o que Jesus Cristo diz com sabedoria: «Quem é fiel nas coisas pequenas também é fiel nas grandes». A mesma sabedoria é também para aquele que é desonesto. Medito durante este dia sobre a sabedoria que se vê nas pequenas coisas (e não nas grandes) em cada um de nós e, portanto, também em mim. Deixo que essa sabedoria ilumina a minha vida, me evangelize e me converta.



Sexta, 20: AMAR OU DETESTAR

A parte final da passagem do evangelho não deixa qualquer alternativa: ou amo o mestre ou detesto-o. Por outras palavras: o nosso coração só pode dar-se ou agarrar-se a um único amor. Então: Deus? Dinheiro? O que é que realmente tem valor na minha vida?



Sábado, 21: MATEUS E O DINHEIRO

Que feliz coincidência: celebrar São Mateus, que foi chamado por Jesus Cristo quando estava no seu balcão de cobrador de impostos! Sem dúvida que Mateus amava o dinheiro. Mas o Senhor vai ao seu encontro, olha-o com misericórdia, chama-o a segui-lo. E Mateus responde. Hoje, medito sobre esta réstia de esperança: os enganos do dinheiro não impedem Jesus Cristo de chamar por mim.



Domingo, 22: 60 ANOS DE «MISERANDO ATQUE ELIGENDO»

Eis a divisa do papa Francisco: «misericórdia e eleição». Esta divisa é retirada de uma homilia de São Beda, o Venerável, doutor da Igreja, na qual comenta o convite de Jesus a Mateus: «Jesus viu um publicano e olhando para ele com um sentimento de amor, escolheu-o, dizendo-lhe: 'segue-me'». O Papa une a sua vocação à festa de São Mateus, no dia 21 de setembro de 1953, depois de ter renunciado ao namoro com uma jovem, respondendo ao apelo de Jesus Cristo para o seguir como padre. Hoje, a cada um de nós, Jesus Cristo dirige o seu olhar misericordioso e convida-nos a segui-lo. Então, amemo-lo como todo o nosso coração e deixemos de ser «inocentes» perante o dinheiro enganador.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013

Preparar o vigésimo quinto domingo, ano C, no Laboratório da fé
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 16.9.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários