PREPARAR O DOMINGOvigésimo sexto domingo


A parábola do vigésimo sexto domingo (Ano C) faz-nos tremer tanto que parece ir contra a ternura e a misericórdia de Deus. Pensemos: após a morte, um abismo, uma grande abismo, separa o pobre Lázaro do rico de quem ninguém sabe o nome. Então, onde está a bondade de Deus, supostamente, prometida para todos?
É bom reparar nas citações ou atitudes evangélicas que nos chocam e nos parecem em total contradição com a nossa fé. É conveniente não passar rapidamente à frente. A Palavra é uma espada de dois gumes. Não fiquemos sempre com a parte que nos interessa!
Coloquemos a hipótese da existência de um abismo, após a morte, para visualizar de forma clara o que o rico — e nós? — nunca tinha visto ou nunca quis ver durante a vida.
Por outras palavras: se este abismo nos assusta, tanto melhor! Porque deveria acontecer o mesmo em relação aos abismos que, hoje, separam o nosso mundo...
O amor de Cristo impele-nos à conversão. Acreditamos que existe um abismo também intransponível para nós?

© Thierry Lamboley — www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
A utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor



  • Reflexão diária a partir do evangelho > > >
  • Não se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dos mortos > > >
  • Predileção pelos pobres > > >
  • Em coerência com a Palavra > > >
  • Lucas 16, 19-31 — notas exegéticas > > >



Preparar o vigésimo sexto domingo, ano C, no Laboratório da fé
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 26.9.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários