PREPARAR O DOMINGOvigésimo primeiro domingo

25 DE AGOSTO DE 2013

Evangelho segundo Lucas 13, 22-30

Naquele tempo, Jesus dirigia-Se para Jerusalém e ensinava nas cidades e aldeias por onde passava. Alguém Lhe perguntou: «Senhor, são poucos os que se salvam?». Ele respondeu: «Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, porque Eu vos digo que muitos tentarão entrar sem o conseguir. Uma vez que o dono da casa se levante e feche a porta, vós ficareis fora e batereis à porta, dizendo: ‘Abre-nos, senhor’; mas ele responder-vos-á: ‘Não sei donde sois’. Então começareis a dizer: ‘Comemos e bebemos contigo e tu ensinaste nas nossas praças’. Mas ele responderá: ‘Repito que não sei donde sois. Afastai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade’. Aí haverá choro e ranger de dentes, quando virdes no reino de Deus Abraão, Isaac e Jacob e todos os Profetas, e vós a serdes postos fora. Hão de vir do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul, e sentar-se-ão à mesa no reino de Deus. Há últimos que serão dos primeiros e primeiros que serão dos últimos».



Segunda, 19: DESCRIÇÃO

Jesus atravessa cidades e aldeias para ensinar. O que ensina? Diz que o Reino de Deus é comparável a um grão de mostarda ou ainda ao fermento na massa. Fala de um Reino que não se impõe, fala de uma presença discreta e da força do poder de um Deus que ama. Também interpela os hipócritas, os que acumulam riquezas para si mesmos, os espíritos malignos... Escuto Jesus Cristo que hoje se dirige a nós e tomo algum tempo para reler os capítulos 12 e 13 do evangelho segundo Lucas.



Terça, 20: SILÊNCIO

Nesse momento, alguém lhe pergunta: «Senhor, são poucos os que se salvam?». É certamente a nossa questão e inquietação, para nós e para os que nos são queridos, porque temos consciência da pobreza das nossas vidas e da fraqueza da nossa fé. Também sabemos que nem sempre fazemos o bem que poderíamos fazer. Escuto e entro no silêncio de Jesus Cristo que compreende que não pode responder a estão questão senão dando a sua vida para nos salvar.



Quarta, 21: HUMILDADE

Jesus Cristo não responde diretamente à questão. Muda de perspetiva para dizer: «Esforçai-vos por entrar pela porta estreita». Bela imagem! A porta de entrada da basílica da Natividade, em Belém, é tão baixa que só se entra curvado. Essa arquitetura exprime a atitude espiritual fundamental para a qual Jesus Cristo nos convida: baixar-se, inclinar-se e servir; numa palavra, amar. Escuto o apelo de Jesus Cristo a ser como ele no caminho da humildade.



Quinta, 22: COMBATE

Pode-se pensar que a porta do Reino é uma grande abertura para aqueles que se apresentam e se dão a conhecer desta forma: «Comemos e bebemos contigo e tu ensinaste nas nossas praças». É a esses que o Dono da casa diz: «Não sei donde sois. Afastai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade». Portanto, nada de privilégios nem favores! Escuto o ensinamento de Jesus Cristo para combater o mal de todas as formas, para que o seu Reino venha sobre a terra como no Céu.



Sexta, 23: PORTA ESTREITA

Depois de indicar a passagem pela porta estreita, Jesus Cristo revela-nos a grande e Boa Nova: «Hão de vir do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul, e sentar-se-ão à mesa no reino de Deus». Toda a humildade é conveniente, sem excluir ninguém, nenhum povo, país, cultura, religião... É um olhar sobre o espaço e o tempo que nos ultrapassa. Escuto este convite para a festa e apesar das dificuldades que podem perturbar a nossa vida, alegro-me com o motivo da festa.



Sábado, 24: REVELAÇÃO

Hoje, celebramos Bartolomeu, oriundo de Caná da Galileia, que foi levado por Filipe até Jesus (trata-se provavelmente do Natanael do evangelho). Jesus reconhece-o. Aquele, surpreendido, responde: «De onde me conheces?». Como os crentes de todas as gerações, um dia ou outro, experimentamos esta maravilhosa revelação de ser conhecido(a) e atendido(a) por aquele que procuramos. Escuto e entro neste diálogo entre a humanidade e Deus que se procuram mutuamente.



Domingo, 25: SOLIDARIEDADE

Jesus Cristo continua os seus ensinamentos e diz aos discípulos: «Há últimos que serão dos primeiros e primeiros que serão dos últimos». É provável que, como eles, não gostamos muito de escutar este tipo de proposições, sabendo bem o que nos leva a procurar muitas vezes os primeiros lugares: mesa de honra, troféus desportivos, concursos, promoções... e mesmo o Reino de Deus. Eis que, para Deus, todos são convidados, primeiros e últimos; e Jesus Cristo propõe aos seus discípulos que não procurem salvar-se sozinhos. É um convite à fraternidade, à solidariedade e à confiança. Escuto esta proposição, para me deixar converter às formas de olhar de Deus, que me chama já hoje a entrar no seu Reino.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013

Preparar o vigésimo primeiro domingo, ano C, no Laboratório da fé
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 19.8.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários