Carta encíclica sobre a fé [17]


Ora, a morte de Cristo desvenda a total fiabilidade do amor de Deus à luz da sua ressurreição. Enquanto ressuscitado, Cristo é testemunha fiável, digna de fé (cf. Apocalipse 1, 5; Hebreus 2, 17), apoio firme para a nossa fé. «Se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé», afirma São Paulo (1 Coríntios 15, 17). Se o amor do Pai não tivesse feito Jesus ressurgir dos mortos, se não tivesse podido restituir a vida ao seu corpo, não seria um amor plenamente fiável, capaz de iluminar também as trevas da morte. Quando São Paulo fala da sua nova vida em Cristo, refere que a vive «na fé do Filho de Deus que me amou e a Si mesmo Se entregou por mim» (Gálatas 2, 20). Esta «fé do Filho de Deus» é certamente a fé do Apóstolo dos gentios em Jesus, mas supõe também a fiabilidade de Jesus, que se funda, sem dúvida, no seu amor até à morte, mas também no facto de Ele ser Filho de Deus. Precisamente porque é o Filho, porque está radicado de modo absoluto no Pai, Jesus pôde vencer a morte e fazer resplandecer em plenitude a vida. A nossa cultura perdeu a noção desta presença concreta de Deus, da sua ação no mundo; pensamos que Deus Se encontra só no além, noutro nível de realidade, separado das nossas relações concretas. Mas, se fosse assim, isto é, se Deus fosse incapaz de agir no mundo, o seu amor não seria verdadeiramente poderoso, verdadeiramente real e, por conseguinte, não seria sequer verdadeiro amor, capaz de cumprir a felicidade que promete. E, então, seria completamente indiferente crer ou não crer n’Ele. Ao contrário, os cristãos confessam o amor concreto e poderoso de Deus, que atua verdadeiramente na história e determina o seu destino final; um amor que se fez passível de encontro, que se revelou em plenitude na paixão, morte e ressurreição de Cristo.

A luz da fé [Carta Encíclica sobre a fé - «Lumen Fidei»]
A luz da fé [Carta Encíclica sobre a fé - «Lumen Fidei»] — pdf

  • A luz da fé — números publicados no Laboratório da fé > > >



Refletir... saborear

  • A morte de Jesus Cristo revela a fiabilidade do amor de Deus
  • Jesus Cristo ressuscitado é testemunha fiel, digna de fé
  • Jesus Cristo ressuscitado é apoio firme para a nossa fé
  • Jesus Cristo ressuscitado ilumina as trevas da morte
  • A cultura perdeu a noção da presença de Deus
  • A cultura perdeu a noção da ação de Deus na história
  • Os cristãos confessam o amor concreto e real de Deus presente na história
  • Jesus Cristo ressuscitado é apoio firme para a (minha) fé?
  • Concordo com a afirmação de que a cultura perdeu a noção da presença de Deus?
  • Qual a importância da ação de Deus na história?
  • Para mim, Deus manifesta um amor concreto e real?
© Laboratório da fé, 2013

Partilha connosco a tua reflexão!


Papa Francisco, Carta Encíclica sobre a fé (Lumen Fidei — A luz da fé)
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 28.8.13 | 2 comentários
2 comentários:
  1. Deus se manifesta até hoje ,as pessoas que não entendem.
    Nosso tempo vive de olhos e ouvidos fechados .
    Naquele tempo acreditavam , davam a vida por Deus.
    Na História tudo era da vontade de Deus .
    Nosso tempo não .



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Fátima Silva pelo seu comentário. É verdade. Por isso, precisamos de ser construtores de um tempo novo, um tempo onde Deus está presente através do nosso testemunho de amor e de serviço!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários