PREPARAR O DOMINGO: décimo sexto domingo

21 DE JULHO DE 2013

Evangelho segundo Lucas 10, 38-42

Naquele tempo, Jesus entrou em certa povoação e uma mulher chamada Marta recebeu-O em sua casa. Ela tinha uma irmã chamada Maria, que, sentada aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Entretanto, Marta atarefava-se com muito serviço. Interveio então e disse: «Senhor, não Te importas que minha irmã me deixe sozinha a servir? Diz-lhe que venha ajudar-me». O Senhor respondeu-lhe: «Marta, Marta, andas inquieta e preocupada com muitas coisas, quando uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada».



Segunda, 15: A CIGARRA E A FORMIGA

«A cigarra, que tinha cantado durante todo o verão, ficou desprevenida quando chegou o inverno. Então, cheia de fome, dirigiu-se a casa da formiga, sua vizinha»... A história de Marta e de Maria é um pouco parecida com a situação descrita nesta fábula. Marta, como uma formiga em ação, está preocupada em fazer tudo para acolher Jesus; Maria, como a cigarra, repousa aos pés do Senhor. No entanto, a moral da história é inversa, porque os elogios são dirigidos àquela que não faz nada. Será isto uma apologia da preguiça? Hoje, reparo naquilo que me agita e no que me acalma.



Terça, 16: A SERVA E O SERVO

Não atribuamos intenções injustas em Jesus. Ele não desconsidera a dedicação de Marta em favor da postura de Maria, refastelada aos seus pés. Não esqueçamos que o próprio Jesus não veio para ser servido, mas, até ao fim, tomará a atitude de serviço, insistindo para fazermos o mesmo. Portanto, aqui, Marta está a assemelhar-se a Jesus. Hoje, reparo naquilo que faço para ser servo como Jesus.



Quarta, 17: AJUDAR!

Naquele dia, trata-se de um grito de guerra, porque Jesus não vem sozinho para casa dela. Um pouco antes, esteve com setenta e dois discípulos, que tinham voltado da missão e agora seguem com ele. Imagina a pressão que cai em cima de Marta! Tem de fornecer água a toda a gente, alimentar os convidados e preparar alojamento para eles. Eis que a nossa boa Marta, sob tensão, a correr de um lado para o outro, interpela Jesus: «Senhor, não Te importas que minha irmã me deixe sozinha a servir? Diz-lhe que venha ajudar-me». Porque é que Marta não se dirige diretamente a Maria? Hoje, questiono-me sobre a forma que utilizo para pedir ajuda.



Quinta, 18: COMPARAÇÕES E RIVALIDADES

«Senhor, não Te importas que minha irmã me deixe sozinha a servir?». Maravilhosa Marta, franca e direta, que procura acalmar o stress ao interpelar o convidado. Quando recebeis um convidado, dizeis-lhe para partilhar as tarefas necessárias ao seu acolhimento? Pois não é habitual. Neste evangelho, onde muitas vezes vemos uma expressão de ciúme, talvez seja necessário ver uma infeliz ausência de diálogo entre as duas irmãs. Hoje, questiono-me se existe, na minha vida, ausência de diálogo que favoreça as rivalidades e as comparações que não deviam existir.



Sexta, 19: AMIZADES E RELAÇÕES

Stop! Calma! Diz Jesus. «Marta, Marta, andas inquieta e preocupada com muitas coisas». Jesus reconhece que Marta se preocupou com ele, mas destaca mais a ansiedade do desabafo. Quantos lares se desfazem durante uma festa por causa das comparações entre uns e outros, pensar que se é menos amado, ter tido menos êxito no percurso escolar e profissional, ter sido lesado na partilha dos bens familiares. Hoje, reparo nas rivalidades que corrompem as relações entre irmãos e irmãs.



Sábado, 20: CONTEMPLAÇÃO/AÇÃO

Tens jeito para gerir, como Marta, então sê gestor ao serviço do Senhor. Tens jeito para ensinar, então ensina como Jesus ensinava. Tens jeito para cuidar dos doentes, então fá-lo em nome de Jesus que curava... Tu, Marta, que serviste Jesus com solicitude, ajuda-nos a servir; e tu, Maria, a contemplativa, ensina-nos a estar aos pés do mestre. Vós, as duas, ajudai-nos a ser contemplativos na ação, umas vezes «cigarra», outras «formiga», por temperamento e por graça de Deus.



Domingo, 21: A BONDADE DO SENHOR É PARA TODOS

Quando Jesus afirma que Maria escolheu a melhor parte, será que quer dizer que a parte de Marta é menos boa ou menos consistente? Não, o amor do Senhor é o mesmo para todos, porque Deus não tem amigos privilegiados, queridinhos: em Jesus, a vida, a felicidade e a paz, a melhor parte é dada igualmente a uns e a outros! Ele aceita tomar para si a pior parte. Por consequência, estamos a perder tempo quando damos importância às comparações que nos dividem, porque Jesus é tudo para todos; nele, a igualdade espiritual transcende a nossas desigualdades naturais; nele, não há lotes grandes para uns e pequenos para outros! O seu amor é dado por inteiro a um e a outro.



© www.versdimanche.com
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013



Décimo sexto domingo, Ano C
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 16.7.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários