Ao ritmo da liturgia


Décima primeira semana

O que significa perdoar?


«Perdão» é uma das palavras mais belas que saem da boca de Jesus Cristo, ainda que da sua boca tenham saído muitas outras palavras belas.
O que significa perdoar? Perdoar significa acreditar que nada está escrito para sempre, que temos capacidade para nos regenerarmos em cada dia, em cada hora... para aprender com os erros, com as insuficiências, com os fracassos, para nos libertarmos cada vez mais da nossa parte obscura e caminhar em direção à luz.
Jesus Cristo ensina que o perdão é inseparável do amor. Só quem ama é capaz de perdoar; e só quem sabe o que é o amor poderá saborear a força do perdão (DOMINGO: «Quem é este homem, que até perdoa os pecados?»). De repente, altera-se por completo a ordem e a importância das coisas; aprendemos que o amor se coloca acima da ofensa, do mal (SEGUNDA: «Não resistais ao homem mau»). E tudo de forma gratuita (TERÇA: «Se saudardes apenas os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário?»), sem esperar compensações. Isto produz, quase sempre, efeitos maravilhosos.
Mas parece que, passados dois mil anos, continuamos escandalizados com a ideia de um Deus que perdoa a todos (até aos maus). Por isso, uma Igreja que se especializa em condenar os erros (QUARTA: «Não sejais como os hipócritas») nunca poderá produzir um mundo novo!
Deus tem mais em que se ocupar do que com os teus pecados passados. Deus prefere ocupar-se com o teu futuro (QUINTA: «O vosso Pai bem sabe do que precisais»). Descobrir que Deus nos aceita como somos é um grande avanço para aceitarmos o «rosto» de Deus revelado por Jesus Cristo.
Alguma vez te sentiste perdoado? É uma experiência transcendental. Há um otimismo perante a vida que nasce do perdão. Quando nos sentimos perdoados, tudo muda. Tudo é, essencialmente, graça, dom de Deus. Este é o nosso maior tesouro (SEXTA: «Não acumuleis tesouros na terra»), que gera uma cadeia de amor que nunca mais tem fim. E percebemos que o amor redime o mundo porque o torna mais humano. Nada pode trazer maior felicidade ao ser humano, nem o dinheiro, nem o bem-estar (SÁBADO: «Os pagãos é que se preocupam com todas estas coisas»); só o amor é capaz de superar o amor!

Esta semana ajuda-nos a fazer uma reflexão sobre Deus e sobre a «imagem» que temos de Deus. Que «rosto» de Deus é revelado por Jesus Cristo? E também nos ajuda a fazer uma reflexão sobre como tem de ser o «rosto» de quem acredita no Deus de Jesus Cristo.

A elaboração deste texto foi inspirada na obra de José Luis Cortés, El ciclo C, Herder Editorial
© Laboratório da fé, 2013

Décima primeira semana, no Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 16.6.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários