Terça-feira da nona semana


Evangelho segundo Marcos 12, 13-17

Naquele tempo, foram enviados a Jesus alguns fariseus e partidários de Herodes para O surpreenderem no que dissesse. Aproximaram-se e disseram: «Mestre, sabemos que és sincero e não Te deixas influenciar por ninguém, pois não fazes acepção de pessoas, mas ensinas com sinceridade o caminho de Deus. É lícito ou não pagar o tributo a César? Devemos pagar ou não?». Mas Jesus, conhecendo a sua hipocrisia, respondeu-lhes: «Porque Me armais esse laço? Trazei-Me um denário para Eu ver». Eles trouxeram-no e Jesus perguntou-lhes: «De quem é esta imagem e esta inscrição?». Eles responderam: «De César». Então Jesus disse-lhes: «Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus». E eles ficaram muito admirados com Jesus.

Jesus, conhecendo a sua hipocrisia

Uma boa parte dos comentadores destaca a ambiguidade desta passagem do evangelho. Mas também todos estão de acordo quanto à inteligência de Jesus Cristo, que não se deixa cair na armadilha proposta por «alguns fariseus e partidários de Herodes». Se Jesus Cristo dissesse que não se devia pagar impostos estaria a afrontar o poder político romano; mas se dissesse que se devia pagar seria confrontado com a maioria do povo que não aceitava o domínio romano. 
De facto, o interesse daquele grupo não era conhecer a opinião de Jesus Cristo. Os «partidários de Herodes» eram aliados dos romanos e por isso estariam de acordo com o pagamento dos impostos. 
«Jesus, conhecendo a sua hipocrisia» — diz o narrador, para sustentar a resposta dada por Jesus Cristo. Ora, se eles eram submissos ao poder romano e daí retiravam benefícios em proveito próprio, então nada mais correto do que pagar os tributos a César. Por outro lado, é também justo e devido dar a Deus o que lhe pertence: a liberdade de quem procura o bem de todos e não o proveito próprio.
Hoje, com a crise económica que vivemos e as contínuas notícias de fraudes e corrupção é fundamental que nós, cristãos, pensemos na forma como vivemos a eucaristia no dia a dia. Há pessoas que se dizem muito cristãs (e devotas da eucaristia) mas esquecem-se do Evangelho, tentando arranjar desculpas para as suas atitudes. Ser cristão é incompatível com a prática da corrupção, da obtenção de benefícios ou privilégios, e de muitos outros procedimentos que põem em evidência a «hipocrisia» que afasta dos ensinamentos de Jesus Cristo. 

© Laboratório da fé, 2013

Corpo e Sangue de Jesus Cristo e nona semana, no Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 4.6.13 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários