Sexta-feira da décima semana


Evangelho segundo Mateus 5, 27-32

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não cometerás adultério’. Mas Eu digo-vos: Todo aquele que tiver olhado para uma mulher com maus desejos já cometeu adultério com ela em seu coração. Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e lança-o para longe de ti, porque é melhor perder-se um só dos teus membros, do que todo o teu corpo ser lançado na geena. E se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e lança-a para longe de ti, porque é melhor perder-se um só dos teus membros, do que todo o teu corpo ser lançado na geena. Também foi dito: ‘Quem repudiar a sua mulher dê-lhe um certificado de repúdio’. Mas Eu digo-vos: Todo aquele que repudiar a sua mulher, a não ser em caso de união ilegítima, expõe-na a cometer adultério. E aquele que se casar com uma repudiada comete adultério».

Já cometeu adultério com ela em seu coração

O tema desta passagem do evangelho está relacionado com o desejo. Trata-se da «proibição do desejo» expressa no último mandamento do decálogo. Na verdade, esse mandamento não apresenta uma ação proibida mas um desejo. «Não cobiçar as coisas alheias» — apresentam os manuais de catequese; o original do livro do Êxodo (20, 17) afirma: «Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo».
Então, a chave de interpretação do texto não é a sexualidade, mas a violência. Sim, porque todos concordamos que o desejo do alheio (a cobiça, a inveja) é o primeiro problema da comunidade humana, a primeira causa de violência: económica, política, social, sexual, profissional, familiar. Pensemos, por exemplo, na situação económica em que nos encontramos! Não é verdade que a raiz de tudo isto está na cobiça daqueles que, sem escrúpulos, usaram milhões para satisfazer os seus desejos?
A pureza de coração é muito importante para Jesus Cristo. Depois de agravar o sentido da proibição — «Já cometeu adultério com ela em seu coração» —, parece esboçar uma solução: antes de ser violento com os outros, experimenta ser violento contigo próprio. Por isso, fala da mutilação de olhos e mãos. Parece-te bem? Pois, pior é a violência em relação aos outros. E sobre essa temos muito caminho a percorrer!

© Laboratório da fé, 2013

O lema para uma nova evangelização, no Laboratório da fé
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 14.6.13 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários