Segunda-feira da oitava semana


Evangelho segundo Marcos 10, 17-27

Naquele tempo, ia Jesus pôr-Se a caminho, quando um homem se aproximou correndo, ajoelhou diante d’Ele e Lhe perguntou: «Bom Mestre, que hei de fazer para alcançar a vida eterna?». Jesus respondeu: «Porque Me chamas bom? Ninguém é bom senão Deus. Tu sabes os mandamentos: ‘Não mates; não cometas adultério; não roubes; não levantes falso testemunho; não cometas fraudes; honra pai e mãe’». O homem disse a Jesus: «Mestre, tudo isso tenho eu cumprido desde a juventude». Jesus olhou para ele com simpatia e respondeu: «Falta-te uma coisa: vai vender o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois, vem e segue-Me». Ao ouvir estas palavras, o homem ficou abatido e retirou-se pesaroso, porque era muito rico. Então Jesus, olhando à sua volta, disse aos discípulos: «Como será difícil para os que têm riquezas entrar no reino de Deus!». Os discípulos ficaram admirados com estas palavras. Mas Jesus afirmou-lhes de novo: «Meus filhos, como é difícil entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus». Eles admiraram-se ainda mais e diziam uns aos outros: «Quem pode então salvar-se?». Fitando neles os olhos, Jesus respondeu: «Aos homens é impossível, mas não a Deus, porque a Deus tudo é possível».

Vai vender o que tens, dá o dinheiro aos pobres

Um homem aproxima-se de Jesus Cristo. Parece ter tudo para ser uma bom judeu, um bom homem. Um homem que tinha como objetivo saber o que era preciso fazer para «alcançar a vida eterna». Não pergunta sobre os conteúdos da fé ou sobre a doutrina. Outros hão de questionar Jesus Cristo sobre isso... Este homem quer saber o que fazer para participar na plenitude da vida em Deus.
Ao dirigir-se a Jesus Cristo para o questionar, certamente que este homem estaria disposto a fazer o que Jesus lhe dissesse. Mas viu-se diante da dificuldade mais forte que podia encontrar na sua vida: o dinheiro. «Vai vender o que tens, dá o dinheiro aos pobres» — é a resposta de Jesus Cristo. Se queria encontrar Deus, a primeira coisa que tinha a fazer era desprender-se de tudo o que tinha para depois seguir Jesus Cristo. 
O dinheiro! Jesus Cristo podia-lhe ter dado tantas respostas... tinha de ser logo o dinheiro. O maior impedimento para seguir Jesus Cristo é o apego ao dinheiro, à riqueza. Jesus Cristo mostra que cumprir os mandamentos só faz sentido quando se reflete na relação com os outros, quando a vida é colocada ao serviço dos outros, a começar pelos mais pobres. Dar e servir são dois verbos próprios do cristão, sempre conjugados no plural, isto é, muitas vezes ao dia. 
Aos olhos do mundo, quem tem dinheiro é considerada uma pessoa com sucesso, importante. E quem se sente importante por ter dinheiro pode cair no erro de colocar toda a sua confiança nas riquezas. E assim se faz um rico! Mas quer a importância quer a riqueza afastam-se dos valores do Evangelho, que é o mesmo dizer, são obstáculos ao seguimento de Jesus Cristo, são impedimentos para «alcançar a vida eterna».

© Laboratório da fé, 2013

«As riquezas são um empecilho, pois não facilitam o caminho para o Reino de Deus» — disse o papa Francisco para comentar o texto do evangelho. Na homilia, o Papa referiu-se a duas «riquezas» atuais que nos impedem de «alcançar a vida eterna»: o bem-estar e fascínio pelo provisório
«A cultura do bem-estar deixa-nos pouco corajosos, preguiçosos e até egoístas. Não, não, mais do que um filho não, porque não podemos tirar férias, não podemos comprar casa... O bem-estar despe-nos da coragem forte que nos aproxima de Jesus», foram algumas das expressões usadas pelo papa Francisco.
«Estamos apaixonados pelo provisório» — acrescentou o Papa, dando o exemplo de uma pessoa que conheceu que «queria ser padre, mas só durante dez anos». E também referiu os noivos que se casam a pensar que o amor pode acabar e assim terminar também a união entre o casal. 
«Estas duas riquezas são as que, atualmente, nos impedem de seguir Jesus Cristo. Eu penso em muitos, muitos homens e mulheres que deixaram a própria terra para serem missionários por toda a vida: isso é definitivo! Assim como muitos homens e mulheres que deixaram a própria casa para um casamento para toda a vida: isso é seguir Jesus Cristo. É o definitivo. Peçamos ao Senhor que nos dê a coragem de prosseguir, despindo-nos desta cultura do bem estar, com a esperança no tempo definitivo», concluiu o Papa Francisco. [fonte: news.va]

Santíssima Trindade e oitava semana, no Laboratório da fé, 2013
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 27.5.13 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários