Domingo de Pentecostes, Dia do Espírito Santo


Evangelho segundo João 20, 19-23

Na tarde daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas da casa onde os discípulos se encontravam, com medo dos judeus, veio Jesus, apresentou-Se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja convosco». Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor. Jesus disse-lhes de novo: «A paz esteja convosco. Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós». Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes ser-lhes-ão retidos».

Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor

Desalentados. Sem alento. Era assim que se encontravam os discípulos: sem alento; dominados pelo medo, depois da morte trágica de Jesus. As portas fechadas são um sinal evidente dessa situação. Jesus Cristo apresentou-se no meio deles para lhes oferecer três dons. Antes de mais, a alegria, quando lhes mostrou as mãos e o lado e eles reconheceram que era o «Senhor»; depois, o envio para uma missão de reconciliação na continuidade da própria missão de Jesus; finalmente, o Espírito Santo sob a forma de um sopro, um alento exalado sobre os discípulos.

Soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo»

Esta é talvez uma das imagens mais sugestivas para referir o Espírito Santo: o alento de Jesus Cristo exalado (soprado) sobre cada um de nós. O mesmo alento que levou Jesus a cumprir a missão de anunciar e tornar presente o Reino de Deus, amando até ao fim, entregando a sua vida. Agora, é esse alento que Ele nos oferece, um e outra vez, para que a nossa existência seja recriada à medida de Jesus Cristo, para participarmos na sua missão. 

Dia de «portas abertas»

Quando uma instituição ou uma empresa querem dar-se a conhecer, comunicar os seus objetivos, partilhar as suas atividades, organiza um dia que se costuma chamar de «portas abertas». Ora bem, a experiência do Espírito Santo tem de fazer com que a nossa comunidade viva sempre como um dia de «portas abertas» para que o sopro do Espírito Santo, o alento de Jesus Cristo, chegue a todas as pessoas. Um dia de «portas fechadas» só serve para aumentar os medos, complicar o que tem de ser simples, agravar os problemas, apagar a beleza e a alegria da fé.
  

Alegria do encontro

Que experiência é que tenho da ação do Espírito Santo na minha vida? A experiência imediata que todos fazemos, através dos sentidos, é que somos matéria, somos limitados. Mas há uma outra experiência, a espiritual, que nos ensina a ver a realidade de uma forma diferente: descobrimos em nós algo que nos aponta para o absoluto; é maior do que nós, mas ao mesmo tempo também faz parte de nós. Esta é a experiência do Espírito Santo! É uma realidade oferecida a todos. É esta experiência espiritual que nos traz a verdadeira segurança, a liberdade, a paz, a alegria.
O texto do evangelho diz que o primeiro dom de Jesus Cristo ressuscitado aos discípulos é a alegria: «Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor». «A alegria não é um sentimento vazio, uma pura sensação eufórica, abstrata e sem conteúdo. [...] A alegria está sempre relacionada com algo muito concreto que aconteceu e que a pessoa procurou ou sente como significativo para a sua própria vida» (Amadeo Cencini). Hoje, tal como com os discípulos, para vivermos na alegria é preciso que o encontro com Jesus Cristo seja algo concreto e significativo para a nossa vida. Rezemos ao Senhor Jesus ressuscitado que nos ensine a fazer a experiência pessoal da sua presença na nossa vida pela ação do Espírito Santo. Esta experiência não é automática. É preciso treinar, diariamente, para aprendermos a saborear a alegria pela presença do Senhor Jesus Cristo ressuscitado na nossa vida. E se não desistirmos de treinar, há de chegar o dia em que se diga de nós o mesmo que o evangelista diz sobre os discípulos: «ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor».

© Laboratório da fé, 2013

João 20, 20 - www.laboratoriodafe.net
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 19.5.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários