A natureza da sua mediação 


A maternidade de Maria na economia da graça perdura sem interrupção, desde o consentimento, que fielmente deu na anunciação e que manteve inabalável junto à cruz, até à consumação eterna de todos os eleitos. De facto, depois de elevada ao céu, não abandonou esta missão salvadora, mas, com a sua multiforme intercessão, continua a alcançar-nos os dons da salvação eterna. Cuida, com amor materno, dos irmãos de seu Filho que, entre perigos e angústias, caminham ainda na terra, até chegarem à pátria bem-aventurada. Por isso, a Virgem é invocada na Igreja com os títulos de advogada, auxiliadora, socorro, medianeira. Mas isto entende-se de maneira que nada tire nem acrescente à dignidade e eficácia do único mediador, que é Cristo (Constituição Dogmática sobre a Igreja — «Lumen Gentium», 62).

Mistérios a partir do texto da «Lumen Gentium»


  • PRIMEIRO MISTÉRIO: A MATERNIDADE DE MARIA
A missão materna universal de Maria é exercida no contexto da sua singular relação com a Igreja. Com a sua solicitude para com todos os cristãos, ou melhor, com cada criatura, Ela guia a fé da Igreja para um acolhimento sempre mais profundo da Palavra de Deus, sustentando-lhe a esperança, animando a sua caridade e a comunhão fraterna e encorajando o dinamismo apostólico. Esta sua função está destinada a prolongar-se nos séculos até ao fim do mundo (João Paulo II, Audiência Geral de 24 de setembro de 1997).

  • SEGUNDO MISTÉRIO: ELEVADA AO CÉU
Na Assunção da Virgem é possível compreender o plano da Providência divina relativa à humanidade: depois de Cristo, Verbo encarnado, Maria é a primeira criatura humana que realiza o ideal escatológico, antecipando a plenitude da felicidade, prometida aos eleitos mediante à ressurreição. A Assunção de Maria proclama o destino sobrenatural e a dignidade de cada corpo humano, chamado pelo Senhor a tornar-se instrumento de santidade e a participar na Sua glória (João Paulo II, Audiência Geral de 9 de julho de 1997).

  • TERCEIRO MISTÉRIO: A SUA MULTIFORME INTERCESSÃO
Tendo entrado no reino eterno do Pai, mais próxima do Filho e, portanto, de todos nós, Maria pode exercer no Espírito, de maneira mais eficaz, a função de intercessão materna que lhe foi confiada pela Providência divina. Próxima de Cristo e em comunhão com Ele, que «pode salvar perpetuamente os que por Ele se aproximam de Deus, vivendo sempre para interceder em seu favor» (Hebreus 7, 25), o Pai celeste quis pôr Maria: à intercessão sacerdotal do Redentor quis unir a intercessão materna da Virgem (João Paulo II, Audiência Geral de 24 de setembro de 1997).

  • QUARTO MISTÉRIO: ADVOGADA E AUXILIADORA
Estes títulos de Maria ajudam a compreender melhor a natureza da sua intervenção na vida da Igreja e de cada um dos fiéis. Exerce o seu papel de «advogada», cooperando quer com o Espírito, quer com Aquele que na cruz intercedia pelos Seus perseguidores e ao Qual João chama o nosso «advogado junto do Pai» (1João 2, 1). Os cristãos invocam Maria como «auxiliadora», reconhecendo-lhe o amor materno que vê as necessidades dos seus filhos e está pronto a intervir em ajuda deles. (João Paulo II, Audiência Geral de 24 de setembro de 1997).

  • QUINTO MISTÉRIO: SOCORRO E MEDIANEIRA
A convicção de que Maria está próxima de quantos sofrem ou se encontram em situações de grave perigo, sugeriu aos fiéis invocá-la como «socorro». A mesma confiante certeza é expressa pela mais antiga oração mariana, com as palavras: «À vossa protecção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades; mas livrai-nos de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita». Como medianeira materna, Maria apresenta a Cristo os nossos desejos, as nossas súplicas e transmite-nos os dons divinos, intercedendo continuamente em nosso favor. (João Paulo II, Audiência Geral de 24 de setembro de 1997).

  • TRÊS AVE MARIAS FINAIS
Nesta semana da vida, peçamos a Maria que nos ajude a dar mais vida à nossa vida. Maria é a Mãe de todos os que renascem para a vida. Ela é verdadeiramente a Mãe da Vida que faz viver todos os homens; ao gerar a Vida, gerou de certo modo todos aqueles que haviam de viver dessa Vida (João Paulo II, Carta Encíclica «O Evangelho da Vida», 138).

  • ORAÇÃO PARA TODOS OS DIAS > > >
  • TEMA GERAL DO MÊS DE MARIA 2013 > > >
© Laboratório da fé, 2013

Maio, mês de Maria, 2013 — Laboratório da fé


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 18.5.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários