Ao ritmo da liturgia [no Ciclo C de Cortés (RD-Herder)]


Sétima semana
 de Páscoa

Uma vida ressuscitada: ter estabilidade no trabalho


Ter uma boa alimentação (terceira semana), fazer exercício (quarta semana), visitar periodicamente o médico (quinta semana), consultar o psicólogo (sexta semana)... mas uma vida (ressuscitada) realizada, hoje em dia todos sabemos, precisa de um trabalho estável que proporcione segurança e autoestima.
O trabalho do cristão é, naturalmente, «ser testemunha» (DOMINGO: «Vós sois testemunhas disso»), pois só assim podemos fazer parte da família (SEGUNDA: «Esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe»), sempre motivados para viver a nossa situação laboral (TERÇA: «Chamo-vos amigos»).
A nossa tarefa específica consiste em fazer o mesmo trabalho que Jesus efetuou ao longo da sua existência terrena (QUARTA: «Como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei»), trabalhando em equipa (QUINTA: «Que sejam um»), uma equipa onde quem manda é quem mais ama (SEXTA: «Amas-Me tu mais do que estes?») e que continuará a viver e a trabalhar (SÁBADO: «Até que Eu venha»).
Estamos inscritos no Centro de Emprego de Jesus (um trabalho duro, mas que tem muitos motivos de satisfação)?

Esta semana servirá para rever como estamos a desempenhar o nosso trabalho de testemunhas: O nosso chefe está contente? E os companheiros? Merecemos ser promovidos?

© José Luis Cortés — El ciclo C, Herder Editorial
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
A utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor

Páscoa - Laboratório da fé
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 13.5.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários