Segunda-feira da quarta semana de Páscoa

Evangelho segundo João 10, 1-10

Naquele tempo, disse Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que não entra no aprisco das ovelhas pela porta, mas entra por outro lado, é ladrão e salteador. Mas aquele que entra pela porta é o pastor das ovelhas. O porteiro abre-lhe a porta e as ovelhas conhecem a sua voz. Ele chama cada uma delas pelo seu nome e leva-as para fora. Depois de ter feito sair todas as que lhe pertencem, caminha à sua frente e as ovelhas seguem-no, porque conhecem a sua voz. Se for um estranho, não o seguem, mas fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos». Jesus apresentou-lhes esta comparação, mas eles não compreenderam o que queria dizer. Jesus continuou: «Em verdade, em verdade vos digo: Eu sou a porta das ovelhas. Aqueles que vieram antes de Mim são ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os escutaram. Eu sou a porta. Quem entrar por Mim será salvo: é como a ovelha que entra e sai do aprisco e encontra pastagem. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir. Eu vim para que as minhas ovelhas tenham vida e a tenham em abundância».

Se for um estranho, não o seguem

Numa casa, quando vemos alguém a entrar pela janela pensamos logo num assalto. Jesus Cristo usa a mesma lógica para se distinguir do «ladrão»; este não entra «pela porta, mas entra por outro lado». 
Um ladrão apropria-se do que não lhe pertence; causa dano aos que são roubados. Jesus Cristo alerta para o perigo de sermos confrontados com ladrões, que muitas vezes até se fazem passar por «bons pastores». 
Ora, quando as ovelhas estão atentas, não seguem esses «estranhos», mesmo que se façam passar por pastores. Porque conhecem a voz do verdadeiro pastor. «Se for um estranho, não o seguem, mas fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos».
Quando decidimos fazer uma caminhada, não sabemos o que podemos encontrar pelo caminho. Há «estranhos» a quem não podemos dar ouvidos, nem cair na tentação de os seguir: a violência, o egoísmo, a xenofobia, o ódio... 
Mas há outros tipos de «estranhos» que se apresentam camuflados de «bons» e querem-nos afastar do caminho certo: preocupações laborais ou familiares, desleixo, alguns rituais religiosos ou práticas de piedade, rotina, preguiça...
A melhor maneira de não nos afastarmos do caminho certo — o percurso que queremos percorrer — é parar de vez em quando, passar por postos de controle, usar o GPS... seguir a voz do pastor. Jesus Cristo como treinador e o seu Evangelho como posto de controle são a melhor forma de fortalecermos a nossa vida ressuscitada com uma «atividade desportiva» equilibrada e saudável. 

© Laboratório da fé, 2013

Nas comunidades cristãs também existem «carreiristas», não é? — questionou o Papa Francisco a propósito deste texto do evangelho, na homilia de hoje, na capela da Casa Santa Marta. São os «ladrões» e «salteadores» de que fala Jesus Cristo, aqueles que procuram o proveito próprio e, por isso, consciente ou inconscientemente enganam o rebanho. 
E como faço para saber se a porta é verdadeira? Pega nas bem-aventuranças e segue-as: sê humilde, pobre, manso, justo... Na verdade, às vezes temos a tentação de sermos donos de nós mesmos e não humildes filhos de Deus.
Jesus Cristo não é apenas a porta: é o caminho, é a estrada. Existem muitos percursos, alguns até parecem mais rápidos, mas não são verdadeiros, são enganadores. Essa é a tentação de procurar outras portas ou outros lugares para entrar no Reino de Deus. Jesus Cristo é a única porta verdadeira. 
Alguns podem dizer: «Padre, o senhor está a ser fundamentalista!». Não, estou apenas a repetir as palavras de Jesus Cristo: «Eu sou a porta das ovelhas». Jesus Cristo é uma porta bela, uma porta de amor, uma porta que não engana, não é falsa. Diz sempre a verdade. Mas com ternura, com amor. 
Às vezes, parece que a porta está fechada: estamos tristes, desolados, temos medo de bater à porta. Não podemos procurar outras portas que possam parecer mais fáceis de abrir, mais confortáveis, mais ao nosso alcance. Procuremos sempre a porta que é Jesus Cristo. Ele nunca desilude, nunca nos engana. (fonte: www.news.va)

João 20, 20 - www.laboratoriodafe.net
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 22.4.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários