Quarta-feira da segunda semana de Páscoa

Evangelho segundo João 3, 16-21

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n’Ele não é condenado, mas quem não acredita já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus. E a causa da condenação é esta: a luz veio ao mundo e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque eram más as suas obras. Todo aquele que pratica más acções odeia a luz e não se aproxima dela, para que as suas obras não sejam denunciadas. Mas quem pratica a verdade aproxima-se da luz, para que as suas obras sejam manifestas, pois são feitas em Deus».

Quem pratica a verdade aproxima-se da luz

Deus envia o Filho ao mundo, porque nos ama. Deus é «excesso» de dom, «excesso» de amor. «Deus amou tanto», um amor tão grande que oferece o seu Filho para que o ser humano «tenha a vida eterna». Deus «não nos salva com uma carta, com um decreto, mas salvou-nos e continua a salvar-nos com o seu amor» (Papa Francisco).
No entanto, no nosso «Credo», na profissão da fé, esquecemo-nos de dizer que Deus é Amor. As circunstâncias históricas preferiram o tema do poder, da autoridade imperial. Por isso, afirmamos que Deus é «todo-poderoso». Hoje, só podemos aceitar o texto do «Credo», se o lermos a partir do Evangelho e não a partir da tradição imperial romana.
Jesus Cristo não fala de religião nem de práticas de piedade. Refere o comportamento de cada pessoa alicerçado na verdade: «Quem pratica a verdade aproxima-se da luz». O caminho da luz é o caminho da salvação. O cristão, ao reconhecer o «excesso» do amor divino, sente-se salvo, isto é, conhecedor do sentido profundo da vida. O cristão tem uma vida «ressuscitada», uma vida cheia de luz. 
A «luz» é a identificação com Jesus Cristo. Viver no caminho da «luz», aproximar-se da «luz», é seguir pelo caminho de Jesus Cristo. Assim, fica claro que para Jesus a salvação não é uma questão religiosa. É uma questão de ética. «Quem pratica a verdade aproxima-se da luz». Trata-se de praticar a verdade. Uma vida transparente é a proposta de Jesus Cristo.

© Laboratório da fé, 2013

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 10.4.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários