Ao ritmo da liturgia [no Ciclo C de Cortés (RD-Herder)]


Terceira semana
 de Páscoa

Uma vida ressuscitada: ter uma boa alimentação


Nesta semana, iniciamos uma série de reflexões sobre como cultivar a nossa vida ressuscitada de cristãos.
Começamos pelo mais básico: a alimentação.
De que se alimenta a nossa vida ressuscitada? A matéria prima tem de ser sempre o amor (DOMINGO: «Amas-Me?»). Temos maus hábitos alimentares (SEGUNDA: «Trabalhai, não tanto pela comida que se perde, mas pelo alimento que dura até à vida eterna»); por isso, é preciso começar a recusar as comidas insossas, escolher outro alimento (TERÇA: «O pão de Deus é o que desce do Céu para dar a vida ao mundo»), preferir uma boa matéria prima — o Evangelho lido, meditado, posto em prática (QUARTA: «Quem vem a Mim nunca mais terá fome») —, prepará-la e cozinhá-la em «lume brando» — a oração, a união com Deus (QUINTA: «Quem comer deste pão viverá eternamente») —, até dispor de uma requintada e saudável comida (SEXTA: «Este é o pão que desceu do Céu; não é como o dos vossos pais»), um alimento que mais ninguém pode oferecer (SÁBADO: «Para quem iremos, Senhor?»).
Queremos participar num curso de cozinha saudável ministrado por Jesus, o nosso grande chefe?

Nesta semana, questionamo-nos sobre o tipo de comida com que estamos a alimentar a nossa vida de ressuscitados.

© José Luis Cortés — El ciclo C, Herder Editorial
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
A utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor

Páscoa - Laboratório da fé
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 15.4.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários