Histórias, contos e reflexões... fusão entre Ana Caridade e Julinha


fusão entre Ana Caridade e Julinha

Hoje (12 de março) é especial Julinha! Um dia ensinaram-me a sentir a vida através das entranhas, de fazer o exercício de parar contemplar e perceber o sagrado que existe neste respirar... aquele que me ensinou a viver o lado da noite também me mostrou o dia... ensinou-me um conceito que te passo... o da noite dividida! Irei segredar-te com mais profundidade um dia destes. A nossa sociedade ensina-nos pouco a viver em equilíbrio nesta dualidade, uns fogem do dia por querem permanecer na noite outros não querem que anoiteça e iludem-se... neste caminho descobri estes dois lados e percebi que o Amor só se consegue viver assim... nesta morte e vida... neste abandono do controle e na humildade de se desnudar com verdade... na verdade de cada dia deixar cair os véus e filtros. Dói e provoca muita alegria... olhar e ver as fragilidades arranha o ego... assumir as forças, assusta! E quando percebes que a responsabilidade de como está a tua realidade é tua dá-te o poder de agarres e meteres a mão na massa... como tu pintas... é parecido com os quadros que pintas! E podemos criar como queremos! Vou-te mostrar com o barro. Experimentando... permitindo o erro e aprendendo com ele. Foi assim que mais cresci, errando... quando deixei de ser a menina perfeita e passei a ser simplesmente a Ana... quando descalcei os meus sapatos e caminhei com o pés no chão a sentir... ver com os pés, como aprendi com os indígenas. As pessoas despem muito facilmente a roupa que cobre o corpo mas a alma fica tapada... esquecem-se que o melhor está ai. E quando se escuta a voz da alma ficamos mais perto da essência divina em nós. E quando olhas nos olhos de outra alma consegues fazer alquimia. É muito bom quando assim é! Há vezes que tu vais conseguir isso e o Outro não... e vice-versa... o importante é que haja respeito! Sim, respeito é fundamental! Agora brinca... saboreia a chuva de folhas... é tão bela essa simplicidade!

© Ana Teresa Caridade



psicoterapeuta, criativa, narradora oral, professora

Ana Teresa Caridade, natural de Aveiro, vive em Braga, é professora de Educação Moral e Religiosa Católica, psicoterapeuta, criativa, narradora oral e professora de Hatha Yoga. Acredita que pode compilar e cruzar várias áreas: crescimento pessoal e espiritual, arte e comunidade. Explora a dança, o teatro, a música e a narração oral. Sente necessidade de explorar várias técnicas de psicoterapia.
Outros artigos publicados no Laboratório da fé


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 24.4.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários