O Espírito Santo traz-nos a novidade de Deus;
vem a nós e faz novas todas as coisas, transforma-nos
disse o Papa Francisco na homilia deste domingo, 28 de abril de 2013.

Francisco confirmou 44 jovens dos cinco continentes

Como previsto no programa do Ano da Fé, neste quinto domingo de Páscoa, o Papa Francisco celebrou o Sacramento da Confirmação com 44 cristãos de todo o mundo, representantes dos cinco continentes. Na breve homilia, Francisco refletiu sobre três pontos, como o próprio classificou: a novidade de Deus, as tribulações na vida e a firmeza da fé.
As novidades do mundo são sempre provisórias, disse o Papa. Mas a novidade oferecida por Deus é sempre definitiva; e não só no futuro, quando estivermos com Ele, mas também agora, porque Deus continua a fazer tudo novo através do Espírito Santo que nos transforma verdadeiramente. Ele quer transformar com a nossa ajuda o mundo em que vivemos. Por isso, o Papa pediu que abramos a porta a Deus, que deixemos que Ele nos guie e que a sua ação contínua nos faça homens e mulheres novos, animados pelo seu amor concedido pelo Espírito Santo.
No segundo pensamento, o Santo Padre recordou que o caminho da Igreja — e também o nosso caminho cristão pessoal — não é sempre fácil, pois encontramos dificuldades. E disse que apesar existirem muitos obstáculos ao caminho de seguir o Senhor — fora de nós, no mundo em que vivemos que frequentemente não nos compreende e também dentro de nós — estas tribulações fazem parte do caminho para chegar à glória de Deus, tal como aconteceu com Jesus, que foi glorificado na Cruz.
No último ponto da homilia, Francisco convidou-nos, aos que estavam a celebrar a Confirmação e a todos os cristãos, a permanecer firmes no caminho da fé com uma firme esperança no Senhor. Eis o segredo do nosso caminho. Deus dá-nos a força para caminhar contra a corrente.

Ano da Fé — Sacramento da Confirmação


Homilia completa do Papa Francisco — 28 de abril de 2013 


Gostaria de vos propor três pensamentos, simples e breves, para a vossa reflexão.
1. Na Segunda Leitura, ouvimos a estupenda visão de São João: um novo céu e uma nova terra e, em seguida, a Cidade Santa que desce de junto de Deus. Tudo é novo, transformado em bondade, em beleza, em verdade; não há mais lamento, nem luto... Tal é a ação do Espírito Santo: Ele traz-nos a novidade de Deus; vem a nós e faz novas todas as coisas, transforma-nos. O Espírito transforma-nos! E a visão de São João lembra-nos que todos nós estamos a caminho para a Jerusalém celeste, a novidade definitiva para nós e para toda a realidade, o dia feliz em que poderemos ver o rosto do Senhor – aquele rosto maravilhoso, tão belo do Senhor Jesus –, poderemos estar para sempre com Ele, no seu amor.
Olhai! A novidade de Deus não é como as inovações do mundo, que são todas provisórias, passam e procuram-se outras sem cessar. A novidade que Deus dá à nossa vida é definitiva; e não apenas no futuro quando estivermos com Ele, mas já hoje: Deus está a fazer novas todas as coisas, o Espírito Santo transforma-nos verdadeiramente e, através de nós, quer transformar também o mundo onde vivemos. Abramos a porta ao Espírito, façamo-nos guiar por Ele, deixemos que a acção contínua de Deus nos torne homens e mulheres novos, animados pelo amor de Deus, que o Espírito Santo nos dá. Como seria belo se cada um de vós pudesse, ao fim do dia, dizer: Hoje na escola, em casa, no trabalho, guiado por Deus, realizei um gesto de amor por um colega meu, pelos meus pais, por um idoso. Como seria belo!
2. O segundo pensamento: na Primeira Leitura, Paulo e Barnabé afirmam que «temos de sofrer muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus» (Atos 14, 22). O caminho da Igreja e também o nosso caminho pessoal de cristãos não são sempre fáceis, encontramos dificuldades, tribulações. Seguir o Senhor, deixar que o seu Espírito transforme as nossas zonas sombrias, os nossos comportamentos em desacordo com Deus e lave os nossos pecados, é um caminho que encontra muitos obstáculos fora de nós, no mundo, e dentro de nós, no coração. Mas, as dificuldades, as tribulações fazem parte da estrada para chegar à glória de Deus, como sucedeu com Jesus que foi glorificado na Cruz; aquelas sempre as encontraremos na vida. Não desanimeis! Para vencer estas tribulações, temos a força do Espírito Santo.
3. E passo ao último ponto. É um convite que dirijo a todos, mas especialmente a vós, crismandos e crismandas: permanecei firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor. Aqui está o segredo do nosso caminho. Ele dá-nos a coragem de ir contra a corrente. Sim, jovens; ouvistes bem: ir contra a corrente. Isto fortalece o coração, já que ir contra a corrente requer coragem e Ele dá-nos esta coragem. Não há dificuldades, tribulações, incompreensões que possam meter-nos medo, se permanecermos unidos a Deus como os ramos estão unidos à videira, se não perdermos a amizade com Ele, se lhe dermos cada vez mais espaço na nossa vida. Isto é verdade mesmo, e sobretudo, quando nos sentimos pobres, fracos, pecadores, porque Deus proporciona força à nossa fraqueza, riqueza à nossa pobreza, conversão e perdão ao nosso pecado. O Senhor é tão misericordioso! Se vamos ter com Ele, sempre nos perdoa. Tenhamos confiança na acção de Deus! Com Ele, podemos fazer coisas grandes; Ele nos fará sentir a alegria de sermos seus discípulos, suas testemunhas. Apostai sobre os grandes ideais, sobre as coisas grandes. Nós, cristãos, não fomos escolhidos pelo Senhor para coisinhas pequenas, ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jovens, jogai a vida por grandes ideais!
Novidade de Deus, tribulação na vida, firmes no Senhor. Queridos amigos, abramos de par em par a porta da nossa vida à novidade de Deus que nos dá o Espírito Santo, para que nos transforme, nos torne fortes nas tribulações, reforce a nossa união com o Senhor, o nosso permanecer firmes n'Ele: aqui está a verdadeira alegria. Assim seja.

© Copyright 2013 - Libreria Editrice Vaticana
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 29.4.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários