— Todo tiene su momento - blog de Pedro Jaramillo —

Quarta-feira da terceira semana


— Evangelho segundo Mateus 5, 17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim revogar, mas completar. Em verdade vos digo: Antes que passem o céu e a terra, não passará da Lei a mais pequena letra ou o mais pequeno sinal, sem que tudo se cumpra. Portanto, se alguém transgredir um só destes mandamentos, por mais pequenos que sejam, e ensinar assim aos homens, será o menor no reino dos Céus. Mas aquele que os praticar e ensinar será grande no reino dos Céus».

— «Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; 

      não vim revogar, mas completar»

Um breve texto de Mateus sobre os mandamentos, no contexto do Sermão da Montanha. Jesus declara que não veio abolir os mandamentos, mas para os completar, no sentido de lhes dar plenitude. Uma plenitude que o próprio Jesus esclarece nos versículos seguintes à leitura de hoje. Aí, utiliza as célebres frases «ouvistes o que foi dito...», «eu, porém, digo-vos...». Nos seis casos concretos em que se explica este «completar», dar plenitude, trata-se de uma «interiorização» da vontade de Deus, para situar os mandamentos no seu verdadeiro nível: o do coração.
Situados aí, entende-se melhor a postura contundente do Senor perante normas como «filtrar um mosquito e engolir um camelo» (cf. Mateus 23, 24). Os mandamentos do Senhor não são «caprichos de Deus», mas «sinais de Deus». Daí as consequências da atitude que se toma perante eles: insignificância no Reino para o incumpridor; grandeza para o que os cumpriu.

— Sinais para o caminho de fé

  • Jesus não supõe uma rutura com o Antigo Testamento. Ele é o cume e a plenitude da Revelação. Com Ele, o Antigo Testamento converte-se em promessa, mas não perde a validade. Isto vale também para os mandamentos.
  • A relação de Jesus com os mandamentos de Deus não é de descontinuidade. Coisa diferente é a sua atitude com o que ele próprio chama «tradições humanas». Com estas, Jesus mostra-se severo
  • Mas, os próprios mandamentos de Deus são levados por Jesus a um cumprimento em plenitude. Tira-os de um nível puramente exterior, para os fazer entrar no coração. Tira-os de um cumprimento mínimo, para mostrar as exigências radicais que colocam.
  • Para Jesus, o cumprimento dos mandamentos não basta. Ao jovem rico que lhe disse ter cumprido os mandamentos, responde-lhe: «falta-te uma coisa...»: deixar tudo, para poder realizar um seguimento livre de bagagem e disponível até ao extremo. 
  • A partir da fé, recordamos a pergunta de João: «se alguém diz que ama a Deus que não vê e não ama o irmão que vê, como pode habitar nele o amor de Deus?» (1Jo 4, 20). A «decisão é tua»... e minha.
© Pedro Jaramillo
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
— a utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor —




Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 6.3.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários