— Rachel Lemos Abdalla —

Uma boa leitura, assim como todos os hábitos, precisa de ser cultivada, pois só traz riquezas para a vida! 
Por isso, as crianças precisam de ter este costume, tanto para a distração e a cultura, como para a formação e a aprendizagem. 
A literatura é parte integrante da formação completa do ser humano. Nela, busca-se o equilíbrio entre o desenvolvimento da inteligência e a afetividade, entre a ação e a emoção, entre o útil e o agradável e, além do mais, os livros infantis remetem os pequeninos para a instrução, o sonho, as fantasias e também para as crenças. 
A Bíblia é um Livro que conta histórias de pessoas de fé, que confiam em Deus, têm esperança, amor e coragem, que fazem conquistas e lutam pelos seus ideais. Nela está a Palavra de Deus, Jesus Cristo! E ela pode chegar às mãos das crianças nas versões infantis, que contêm uma linguagem apropriada e com ilustrações, permitindo uma maior interação e inserção na história. Lemos na Constituição Dogmática sobre a Palavra de Deus («Dei Verbum»), do II Concílio do Vaticano, que «Deus invisível, na riqueza do seu amor fala aos homens como amigos e convive com eles» (número 2), e é na Bíblia que encontramos as Suas Palavras e conhecemos a Sua ação e participação, através de Jesus, junto dos homens. 
As crianças, ao serem introduzidas no hábito da leitura bíblica, tornam-se mais íntimas da Palavra de Deus e dos Seus ensinamentos. As barreiras que existem, ainda hoje, em relação à leitura da Bíblia, por muitas pessoas, são pertinentes devido ao fato de elas não terem sido apresentadas a este tesouro desde pequeninas, facilitando o entendimento da História da Salvação e conhecendo a presença de Deus no mundo na pessoa de Seu Filho, Jesus Cristo. 
Quando contamos histórias da Bíblia às crianças, elas conectam-se com o transcendente de modo lúdico e entram no contexto da evangelização de modo imaginário. Assim podemos estar a plantar a semente da fé! Assim, a fé pode nascer e crescer a partir da experiência vivida na infância, através da sensibilidade da voz e da pessoa que conta a história, transmitindo confiança e seriedade na expressão, na emoção e na entoação da fala e dos gestos. 
Na Bíblia está escrito, no Evangelho segundo Marcos (10, 14), que Jesus diz aos seus discípulos: «Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais»; por isso, precisamos de ler a Bíblia para as crianças, pois assim estamos a levá-las até Jesus, o Verbo de Deus que se fez Homem para estar entre nós e acolher os pequeninos em todas as suas condições. 
A «Lectio Divina» (cf. «Dei Verbum», 25) ou «leitura orante da Bíblia» traz os ensinamentos de Jesus para a vida, provoca um despertar para o 'Bem Maior', incita ao amor entre as pessoas, compromete o cristão na sua missão de discípulo, e pode ser feita em todas as idades. 
O Papa Bento XVI fez a seguinte observação num discurso de 2005: «Gostaria sobretudo de evocar e recomendar a antiga tradição da Lectio divina: a leitura assídua da Sagrada Escritura acompanhada pela oração realiza aquele diálogo íntimo no qual, lendo, escutamos Deus que fala e, rezando, respondemos-lhe com confiante abertura do coração». 
A Bíblia é um livro especial, também para os pequeninos! Nela, encontrarão o Amigo Jesus que estará presente durante toda a vida, amando-os e conduzindo os seus passos pelo único e melhor Caminho. 
Pais e catequistas, não deixeis o tempo passar sem vos dedicardes à leitura da Bíblia às vossas crianças. Essas histórias ficarão gravadas para o resto da vida nos seus coração! 

© Rachel Lemos Abdalla 
Fundadora e Presidente da Associação Católica Pequeninos do Senhor 

© adaptação de Laboratório da fé, 2013



Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 8.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários