— palavra para 22 de fevereiro, Cadeira de Pedro —



— Evangelho segundo Mateus 16, 13-19

Naquele tempo, Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe e perguntou aos seus discípulos: «Quem dizem os homens que é o Filho do homem?». Eles responderam: «Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias, outros que é Jeremias ou algum dos profetas». Jesus perguntou: «E vós, quem dizeis que Eu sou?». Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo». Jesus respondeu-lhe: «Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, mas sim meu Pai que está nos Céus. Também Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus».

— Tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus

O dia 22 de fevereiro é dedicado, na Igreja, à festa da «Cadeira de Pedro». Esta festa pretende destacar a missão específica de Pedro na vida da Igreja. A cadeira é o lugar onde se senta o mestre. Ainda hoje se usa o termo «cadeira» para designar as disciplinas universitárias. E o professor universitário pode ser designado como «catedrático» (da mesma origem latina: «cátedra» é o mesmo que «cadeira»). E também o lugar da presidência do bispo em cada diocese está situado na Sé, que por isso também se chama «Catedral» (onde está a «cátedra»).
As origens documentadas mais antigas referem-se ao século IV: em 354 já aparece esta festa da Cadeira de Pedro, precisamente neste mesmo dia (22 de fevereiro).
Nos dias de hoje, esta festa é uma bela oportunidade para refletir sobre a missão de «Pedro» na vida da Igreja. Recentemente, o Papa Bento XVI apresentou a resignação com estas palavras: «No mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado». Uma quantidade de notícias se produzem para tentar descortinar algo mais do que as palavras proferidas pelo papa Bento XVI. Mas há algo ainda mais importante a refletir!
Como deveria ser a Cadeira de Pedro nos dias de hoje? 
Em primeiro lugar, tem de ser fonte de unidade, sem confundir com uniformidade. A missão entregue por Jesus Cristo a Pedro, em certa medida é também confiada a todos os cristãos, a todos os crentes: «Tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus». A unidade é um sinal essencial que temos de testemunhar ao mundo, contribuindo para que tudo seja «ligado» na terra, para que tudo seja «ligado» nos Céus. 
Será necessário e útil que o Papa seja um chefe de Estado? Será evangélico um Papa com um poder monárquico absoluto, (quase) supremo e único? 

© Laboratório da fé, 2013

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 22.2.13 | Sem comentários
Categorias: ,
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários