— Segunda-feira da primeira semana da Quaresma —

— Evangelho segundo Mateus 25, 31-46
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quando o Filho do homem vier na sua glória com todos os seus Anjos, sentar-Se-á no seu trono glorioso. Todas as nações se reunirão na sua presença e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos; e colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai; recebei como herança o reino que vos está preparado desde a criação do mundo. Porque tive fome e destes-Me de comer; tive sede e destes-Me de beber; era peregrino e Me recolhestes; não tinha roupa e Me vestistes; estive doente e viestes visitar-Me; estava na prisão e fostes ver-Me’. Então os justos Lhe dirão: ‘Senhor, quando é que Te vimos com fome e Te demos de comer, ou com sede e Te demos de beber? Quando é que Te vimos peregrino e Te recolhemos, ou sem roupa e Te vestimos? Quando é que Te vimos doente ou na prisão e Te fomos ver?’. E o Rei lhes responderá: ‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes’. Dirá então aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e os seus anjos. Porque tive fome e não Me destes de comer; tive sede e não Me destes de beber; era peregrino e não Me recolhestes; estava sem roupa e não Me vestistes; estive doente e na prisão e não Me fostes visitar’. Então também eles Lhe hão-de perguntar: ‘Senhor, quando é que Te vimos com fome ou com sede, peregrino ou sem roupa, doente ou na prisão, e não Te prestámos assistência?’ E Ele lhes responderá: ‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o deixastes de fazer a um dos meus irmãos mais pequeninos, também a Mim o deixastes de fazer’. Estes irão para o suplício eterno e os justos para a vida eterna».


Em verdade vos digo: 

     Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, 

     a Mim o fizestes.

O programa é fácil de compreender, mas nem sempre fácil de viver! Quem conhece Cristo tem de saber reconhecê-lo tanto na criança que está irritada como naquela que está tranquila; tanto no adolescente que é delinquente como naquele que é ajuizado; tanto no homem violento como naquele que é generoso em misericórdia; tanto no idoso que é impertinente como naquele que é produz boa companhia; em todos os tipos de pobres, pois sabemos bem que as pessoas podem viver pobrezas materiais, intelectuais, afetivas, morais, espirituais... Cristo é irmão de tudo e de todos. 
Como será bom esse dia do julgamento quando escutarmos o Senhor dizer: «A senhora idosa com quem perdeste o tempo, era eu; o prisioneiro que foste visitar, era eu; o jovem sem abrigo que ajudaste, era eu; a vizinha abandonada que convidaste para usar a tua piscina, era eu; a pessoa que levaste ao hospital, era eu; o estudante que ajudaste, era eu; aqueles e aquelas que beneficiaram da tua presença, dos teus dons, da tua ajuda, era eu... O que tu lhes fizeste, foi a mim que o fizeste».
Mesmo aquelas e aqueles que não são cristãos, mesmo aquelas e aqueles que não conhecem Cristo receberão a recompensa. Formidável surpresa para eles! E alegria eterna para nós ao reconhecê-los como nossas irmãs e irmãos em Jesus Cristo se, juntos, vivemos a solidariedade tendo em vista a justiça para os mais pobres! 

Senhor Jesus, eu quero seguir-te. 
Faz-me reconhecer os pequeninos 
que são os teus irmãos, as tuas irmãs.

© Denise Lamarche, «Vie Liturgique», Novalis - Bayard Presse Canada inc
© Tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
— a utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização —

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 18.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários