— Segunda da segunda semana da Quaresma —

— Evangelho segundo Lucas 6, 36-38

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso. Não julgueis e não sereis julgados. Não condeneis e não sereis condenados. Perdoai e sereis perdoados. Dai e dar-se-vos-á: deitar-vos-ão no regaço uma boa medida, calcada, sacudida, a transbordar. A medida que usardes com os outros será usada também convosco».

— Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso

«Ela é tão boa, esta mulher que trabalha sem parar para que não falte nada aos seus filhos! Ele é tão bom, este homem que sacrificou as férias para dar um pouco de bem estar a uma família em provação! Eles são tão bons, estes pais que perdoam o castigo ao assassino do seu filho entrado na idade adulta!».
Quando poderemos ser tão bons? Falta-nos, para lá chegar, ser melhores do que Deus. O ideal que Jesus propõe é ser «misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso». Como alcançar este ideal? O evangelho dá-nos certos meios para alcançar este desafio. Desde logo, não julgar os outros. Não atirar a pedra aqueles que fazem o mal. Talvez, se tivéssemos vivido as situações que eles viveram, agiríamos da mesma maneira e talvez até de uma maneira ainda mais odiosa. Em seguida, não condenar. Não usar outra medida nem para aquele que nos fere nem para aquele perturba a nossa paz. E ainda, perdoar. Perdoar o número de vezes que o outro tenha necessidade de ser perdoado. Por fim, dar. Dar do que sobra e até, como a viúva do evangelho, partilhar o necessário. 
Aqui está a lista das maneiras de ser bom, nesta página do evangelho de Lucas: não julgar, não condenar, perdoar, dar. Se analisarmos cada um destes verbos, descobriremos que são cheios de conteúdo. Então, evocaremos os valores da justiça, da indulgência, da paciência, da generosidade, da humildade, da simplicidade e ainda muitos outros.
Não tenhamos medo de ser tão bons. Nunca conseguiremos ser tanto como Deus.

Senhor Jesus, eu quero seguir-te,
evitando julgar ou condenar os outros, 
perdoando e partilhando.
Enche o meu coração de misericórdia.

© Denise Lamarche, «Vie Liturgique», Novalis - Bayard Presse Canada inc
© Tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
— a utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização —

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 25.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários