— reflexão semanal sobre o credo niceno-constantinopolitano — 

No «Credo niceno-constantinopolitano», depois da referência à Igreja — una, santa, católica e apostólica —, acrescenta-se o tema do Batismo interligando-o com a Igreja e com o perdão dos pecados: «Professo um só batismo para remissão dos pecados». Neste tema dedicamos a nossa atenção apenas à primeira parte da frase: «Professo um só batismo», a «porta de entrada» na vida de fé. [Para ajudar a compreender melhor, ler: Mateus 28, 16-20; Catecismo da Igreja Católica, números 976-980 e 1213 a 1284] 

«Batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo» — é a missão que Jesus Cristo ressuscitado confia aos discípulos, conforme o relato do evangelho segundo Mateus. A presença terrena de Jesus Cristo continua com a presença missionária dos discípulos. São enviados para «fazer» novos discípulos «ensinando-os a cumprir tudo» o que aprenderam com Jesus. Este discipulado concretiza-se na adesão aos ensinamentos de Jesus Cristo e na participação na vida da Trindade através da celebração do Sacramento do Batismo. Com esta referência bíblica confirma-se que desde o tempo dos Apóstolos o Batismo tornou-se essencial para a adesão à fé cristã, juntamente com o acolhimento do Evangelho, a Boa Nova de Jesus Cristo. «Os elementos essenciais do Batismo estão todos aqui: o anúncio de tudo o que Jesus fez e ensinou; o acolhimento do dom, expresso mediante a confissão da fé; a efusão da água em nome da Trindade. Quem recebe o Batismo já não está só: o Deus que é amor acolhe-o e vem habitar no seu coração! Graças a este amor, o batizado é inserido numa companhia de amigos que nunca o abandonará, tanto na vida como na morte: a família de Deus, a Igreja» (Bruno Forte, «Eis o Mistério da Fé: crer, viver, testemunhar», Paulinas Editora, Prior Velho 2012, 30). 

Professo um só batismo. A referência ao Sacramento do Batismo é uma particularidade do «Credo niceno-constantinopolitano» (no «Credo Batismal» e no «Símbolo dos Apóstolos» não há qualquer referência). O termo «batismo» tem origem no verbo grego («baptizein») que significa «mergulhar», «imergir» (cf. Catecismo da Igreja Católica [CIC], 1214). É a designação mais comum para referir o Sacramento que é «o fundamento de toda a vida cristã» (CIC 1213). Mas também pode ter outras designações, como «banho da regeneração» ou «iluminação» (cf. CIC 1215-1216). São Gregório Nazianzeno descreve-o assim: «O Batismo é o mais belo e magnífico dos dons de Deus [...] Chamamos-lhe dom, graça, unção, iluminação, veste de incorruptibilidade, banho de regeneração, selo e tudo o que há de mais precioso. Dom, porque é conferido àqueles que não trazem nada: graça, porque é dado mesmo aos culpados: batismo, porque o pecado é sepultado nas águas; unção, porque é sagrado e régio (como aqueles que são ungidos); iluminação, porque é luz irradiante; veste, porque cobre a nossa vergonha; banho, porque lava; selo, porque nos guarda e é sinal do senhorio de Deus» (citado pelo CIC, no número 1216). O Sacramento do Batismo é o primeiro Sacramento da Iniciação Cristã. Esta é constituída pelos sacramentos do Batismo, Confirmação e Eucaristia. É a «porta de entrada» na vida da Igreja. «É o sacramento pelo qual os seres humanos se tornam membros do corpo da Igreja, edificados uns com os outros em morada de Deus no Espírito, e em sacerdócio real e povo santo; é também o vínculo sacramental da unidade que existe entre todos os que são assinalados por ele» (Ritual Romano da Celebração do Batismo das Crianças, «Preliminares Gerais», 4). No batismo das crianças, a pergunta inicial feita aos pais — Que pedis à Igreja de Deus...? — pode ter as seguintes resposta: o Batismo; a fé; a graça de Cristo; a entrada na Igreja; a vida eterna. No batismo dos adultos, a pergunta — Que vens pedir à Igreja de Deus? — tem uma única resposta: «a fé»; mas depois à pergunta — Para que te serve a fé? — a resposta pode ser: para alcançar a vida eterna; a graça de Cristo; ser admitido na Igreja. «O Batismo é o sacramento da fé. Mas a fé tem necessidade da comunidade dos crentes. Só na fé da Igreja é que cada um dos fiéis pode crer. A fé que se requer para o Batismo não é uma fé perfeita e amadurecida, mas um princípio chamado a desenvolver-se» (CIC 1253). Professar «um só Batismo» significa «mergulhar no abandono da fé e emergir-se mediante o dom de si mesmo, abrindo as asas do coração à força do vento do Espírito. Só assim nos podemos elevar, podemos subir até Deus» (Dionigi Tettamanzi, «Esta é a nossa fé!», Paulinas, Prior Velho 2005, 130). 

Pelo Sacramento do Batismo todos os pecados são perdoados...
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 21.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários