— PRIMEIRO DOMINGO da Quaresma — 

«Jesus, cheio do Espírito Santo, [...] 

durante quarenta dias, esteve no deserto» [Lucas 4, 1-2]


A nossa entrada na Quaresma não pode ser com uma atitude triste nem sombria. Porque entramos na Quaresma como Jesus: «cheios do Espírito Santo»; e deixaremos que o mesmo Espírito nos conduza até à ressurreição. 
Evidentemente, se a saída é feliz, isso não significa que o caminho seja sempre divertido e fácil. Não, o Espírito conduzir-nos-á às profundezas. Ele convidar-nos-á a deitar fora, de nós e do mundo, tudo o que se recusa a crescer segundo o Evangelho. Sem dúvida, ficaremos tristes ao descobrir essa realidade da nossa história. 
Mas a última palavra será do amor vitorioso sobre todas as nossas negações. Então, como forma de preparação, a partir de agora, vivamos da ressurreição. Ora, isto muda tudo, muda-nos a nós em primeiro lugar.

© Thierry Lamboley — www.versdimanche.com —
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
— a utilização ou publicação deste texto precisa de prévia autorização —

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 16.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários