— Todo tiene su momento - blog de Pedro Jaramillo —

Quantos agentes de pastoral (não gosto muito do termo «agentes», porque parece estar subentendida uma «agência»... e a nossa ação não é uma «agência de serviços religiosos». Pessoalmente, preferiria falar de «evangelizadores»...), quando lhes começam a faltar «as razões», lançam mão à razão, para se poderem convencer: «depois disto tudo, ninguém me chamou para estas confusões. Além disso, posso ser um bom crente por conta própria!». Cai-nos em cima a crise de Jeremias: «Não pensarei mais nele! Não falarei mais em seu nome» (20, 9).

Acalma-te; e reflete um pouco:*

1. Jesus convida-te a encontrares-te com ele

Tal como com os apóstolos, Jesus convida-te a encontrares-te com Ele, que te unas estreitamente a Ele, porque Ele é a fonte da vida e só Ele tem palavras de vida eterna (Documento de Aparecida = DA, 131). Embora o tenhas descoberto por meios muito humanos, foi de Deus que recebeste o chamamento para ser discípulo missionário. Deus precisa de ti. Deus precisa de nós.
O teu chamamento é uma consagração ao Senhor, que começou no teu batismo e que foi dando frutos, tanto que agora sentes que Jesus «exige» que vivas com gratidão tudo o que fez por ti e que anuncies aos outros as maravilhas da sua salvação. Mas, recorda-o bem, o teu chamamento não é um título de honra que te faz estar acima dos outros; é, muito mais, uma vocação de serviço. O chamamento é uma graça de Jesus, não uma conquista tua. Recorda que não foste tu que escolheste O Mestre, foi Cristo quem te escolheu...; e não foste convocado para algo, mas para Alguém (DA 131). Esta relação pessoal com Jesus, que te chamou, tem de ser a alma de tudo o que fazes pelo Evangelho.

2. Tu responde-lhe com um coração dócil

Para escutar e acolher com humildade o convite que Jesus te faz, tens de ter um coração disponível para desmontar as tuas próprias «conquistas»: no Evangelho, aprende a lição de ser pobre, seguindo Jesus pobre e a lição de anunciar o Evangelho da paz sem bolsa nem alforge, sem colocar a tua confiança no dinheiro ou no poder deste mundo (DA 31). Só quando tiveres um coração generoso e aberto à gratuidade poderás escutar o convite de Jesus. O contrário seria supor que és tu que te convidas a ti mesmo, para realizar a «tua própria» empresa. Por tua conta e risco.
Como discípulo, procuras Jesus, mas é Ele quem te chama e te diz: «segue-me». Descobre o sentido mais profundo da procura, para proporcionar o en-contro com Cristo, que dá origem à iniciação cristã. Renova constantemente esse encontro pelo testemunho pessoal, o anúncio do Kerigma e a ação missionária da tua comunidade (DA 278).

Agora, aqui te deixo umas pistas para que possas refletir. Se te servirem, por certo que me alegro. Se não te servirem, deita-as ao lixo!!!

  • Revejo a história da minha própria vocação cristã: quem me ajudou a descobrir o Senhor; que acontecimentos da minha vida me aproximaram mais do Senhor; que situações das pessoas me falaram mais intensamente do Senhor...

  • A vocação cristã leva-me a unir-me a Jesus, como meu Mestre. Ele é quem me chama e não eu a Ele. Cultivo esta atitude de escuta, no silêncio interior? Ou a minha oração é só de palavras minhas, de barulho, de sentimentos? Amo o silêncio como lugar para escutar o que me diz o Mestre Jesus, o meu Mestre?

  • Tenho um coração disponível para responder a Jesus..., ou tenho o coração cheio de tantas coisas que se torna difícil decidir-me por seguir Jesus?
Até à próxima... Oxalá que te tenha ajuda em alguma coisa! Pouco a pouco, vamo-nos conhecer melhor. Um abraço. Pedro

© Pedro Jaramillo
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
— a utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor —
* [Advertência: o que está sublinhado (itálico) é sempre retirado do Documento da Aparecida. Coloquei em discurso direto, para uma conversa de «tu a tu». Aparecida está mais relacionada com os evangelizadores da América Latina, mas também pode e deve servir para os de Espanha — e de Portugal]

outros artigos do mesmo autor
 
Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 3.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários