— Quinta-feira de Cinzas — Santos Cirilo e Metódio, padroeiros da Europa —

— Evangelho segundo Lucas 10, 1-9

Naquele tempo, designou o Senhor setenta e dois discípulos e enviou-os dois a dois à sua frente, a todas as cidades e lugares aonde Ele havia de ir. E dizia-lhes: «A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi ao dono da seara que mande trabalhadores para a sua seara. Ide: Eu vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa nem alforge nem sandálias, nem vos demoreis a saudar alguém pelo caminho. Quando entrardes nalguma casa, dizei primeiro: ‘Paz a esta casa’. E se lá houver gente de paz, a vossa paz repousará sobre eles; senão, ficará convosco. Ficai nessa casa, comei e bebei do que tiverem, que o trabalhador merece o seu salário. Não andeis de casa em casa. Quando entrardes nalguma cidade e vos receberem, comei do que vos servirem, curai os enfermos que nela houver e dizei-lhes: ‘Está perto de vós o reino de Deus’».

— Não leveis bolsa nem alforge nem sandálias

Cirilo (monge) e Metódio (bispo) são dois santos importantes para a Europa. Foram proclamados padroeiros da Europa, em 31 de dezembro de 1980, pelo Papa João Paulo II. Juntaram-se assim a São Bento, que já tinha sido proclamado padroeiro da Europa, em 1964, pelo Papa Paulo VI. Há ainda outras santas também proclamadas padroeiras da Europa: Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein), Santa Brígida e Santa Catarina de Sena.
A proclamação destes dois santos (Cirilo e Metódio) como padroeiros da Europa está ligada à importância que ambos tiveram na evangelização dos países de Leste, no século IX. (São Bento está ligado à evangelização da Europa Ocidental). 
Os dados recolhidos pelos evangelhos mostram que o cristianismo nasceu como um movimento de homens e mulheres itinerantes. O texto evangélico proposto para este dia destaca essa dinâmica: «Não leveis bolsa nem alforge nem sandálias». Desde estes primeiros discípulos até aos nossos dias, muitos cristãos seguiram Jesus e dão testemunho, por palavras e obras, e muitas vezes com a própria vida, da mensagem salvadora de Deus. 
Estes dois santos que a liturgia celebra neste dia também assumiram essa dinâmica cristã. Cirilo e Metódio eram irmãos, nascidos em Tessalónica (Grécia). Os seus (primeiros) nomes eram Constantino e Miguel. Conhecemo-los pelos nomes que adotaram quando entraram para o mosteiro. Homens cultos, foram enviados para evangelizar as terras eslavas, entre quais se situam atualmente a Hungria, República Checa, Eslováquia, Rússia, Bulgária, entre outras. 
Uma das ações mais importantes realizada por Cirilo e Metódio foi a tradução para a língua eslava dos textos litúrgicos. Aliás, foram eles que inventaram a escrita que ficou conhecida com o nome do primeiro deles (escrita cirílica), tal como ainda hoje é referida pelos povos eslavos. 
Cirilo morreu em Roma, no ano 869, com 42 anos de idade. Metódio foi ordenado bispo e morreu em 885. Em 1985, o Papa João Paulo II escreveu uma Encíclica — «Os Apóstolos dos Eslavos» («Slavorum Apostoli») — para comemorar a obra de evangelização dos santos Cirilo e Metódio no undécimo centenário da morte de Metódio: «Na obra de evangelização, que eles empreenderam como pioneiros em territórios habitados pelos povos eslavos, encontra-se também um modelo daquilo a que hoje se dá o nome de 'inculturação': a encarnação do Evangelho nas culturas autóctones e, ao mesmo tempo, a introdução dessas culturas na vida da Igreja». 
Hoje, talvez seja este um dos caminhos mais importantes para a nova evangelização! Não é urgente uma linguagem mais acessível aos homens e mulheres deste tempo?

Ó Santos Cirilo e Metódio, 
que levastes com admirável dedicação a fé aos Povos sedentos de verdade e de luz, 
fazei que a Igreja toda proclame sempre Cristo crucificado e ressuscitado, 
Redentor do ser humano!

Ó Santos Cirilo e Metódio, 
que no vosso difícil e penoso apostolado missionário 
permanecestes sempre profundamente ligados 
à Igreja de Constantinopla e à Sé Romana de Pedro, 
fazei que as duas Igrejas irmãs, 
a Igreja Católica e a Ortodoxa, 
superados na caridade e na verdade os elementos de divisão, 
alcancem, com a maior brevidade, a desejada plena união!

Ó Santos Cirilo e Metódio, 
que aproximastes, com sincero espírito de fraternidade, 
os diversos Povos para levar a todos 
a mensagem de amor universal pregado por Cristo, 
fazei que os Povos do Continente Europeu, 
conscientes do seu comum património cristão, 
vivam no recíproco respeito dos justos direitos e na solidariedade, 
e sejam artífices de paz entre todas as Nações do mundo!

Ó Santos Cirilo e Metódio, 
que, estimulados pelo amor de Cristo, 
abandonastes tudo para servir o Evangelho, 
protegei a Igreja de Deus: 
o sucessor de Pedro na Sé Romana; 
os Bispos, os Sacerdotes, 
os Religiosos, as Religiosas, 
os Missionários, as Missionárias, 
os pais, as mães, 
os jovens, as jovens, as crianças, 
os pobres, os doentes e os que sofrem; 
que cada um de nós, 
lá onde o colocou a providência divina, 
seja um digno «operário» da messe do Senhor!
Amén.

João Paulo II 

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 14.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários