— Semana do Consagrado —


— Evangelho segundo Lucas 2, 22-40 

Ao chegarem os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor, como está escrito na Lei do Senhor: «Todo o filho primogénito varão será consagrado ao Senhor», e para oferecerem em sacrifício um par de rolas ou duas pombinhas, como se diz na Lei do Senhor. Vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão, homem justo e piedoso, que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava nele. O Espírito Santo revelara-lhe que não morreria antes de ver o Messias do Senhor; e veio ao templo, movido pelo Espírito. Quando os pais de Jesus trouxeram o Menino para cumprirem as prescrições da Lei no que lhes dizia respeito, Simeão recebeu-O em seus braços e bendisse a Deus, exclamando: «Agora, Senhor, segundo a vossa palavra, deixareis ir em paz o vosso servo, porque os meus olhos viram a vossa salvação, que pusestes ao alcance de todos os povos: luz para se revelar às nações e glória de Israel, vosso povo». O pai e a mãe do Menino Jesus estavam admirados com o que d’Ele se dizia. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua Mãe: «Este Menino foi estabelecido para que muitos caiam ou se levantem em Israel e para ser sinal de contradição; – e uma espada trespassará a tua alma – assim se revelarão os pensamentos de todos os corações». Havia também uma profetiza, Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada e tinha vivido casada sete anos após o tempo de donzela e viúva até aos oitenta e quatro. Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia, com jejuns e orações. Estando presente na mesma ocasião, começou também a louvar a Deus e a falar acerca do Menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. Cumpridas todas as prescrições da Lei do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré. Entretanto, o Menino crescia e tornava-Se robusto, enchendo-Se de sabedoria. E a graça de Deus estava com Ele.

— Compreender a Palavra

A festa de hoje convida-nos a prestar atenção às personagens que aparecem na Apresentação do Senhor no templo: o menino, os seus pais, dois anciãos e o Espírito Santo. As suas ações são de pobres; a sua reação é de louvor e salvação. Todos são movidos e iluminados pelo Espírito Santo.
Reparemos bem: duas vidas gastas na esperança proclamam as maravilhas que Deus realiza nos humildes; o Espírito guia pelo caminho da esperança os que buscamos o Senhor e para encontrá-lo necessitamos a sua luz.
Ilumina-me, Senhor, com o teu Espírito!
Depois do seu nascimento, Jesus foi levado por seus pais ao templo, para cumprir o ritual judaico.
A Carta aos Hebreus proclama a Palavra: “ ‘Estou aqui, ó Deus para fazer a tua vontade’.” (Heb 10,9). A Apresentação de Jesus ao Templo revela que ele não veio para fazer coisas, mas ser Deus no meio de nós, ou melhor ainda, “Deus-connosco!”

— Meditar a Palavra

O que me diz, a mim, este texto do Evangelho?
O teólogo Edward Schillebeeckx diz que “Maria é o braço que une a humanidade santa e salvadora de Cristo à nossa humanidade”.
Ela apresentou Jesus no Templo e ali se revelou o Salvador, na voz de Simeão.
O Pe. Cristo Rey Garcia Paredes escreve em “Palavra e Vida, 2012”: “na Igreja recordamos hoje o dia do chamamento à “vida consagrada”… E porque é que celebramos este modo de vida, hoje, dia da Apresentação? Porque é a data em que o Menino Jesus foi “consagrado ao Senhor”. Maria e José ofereceram-n’O no templo. Essa consagração transformou Jesus em sinal de contradição. A vida consagrada tem também uma função profética.”
Os milhares de consagrados, homens e mulheres, exercem a função profética no mundo em que vivem colocando-se ao lado de todo o tipo de marginalizados. Encontrámo-los numa atitude de proximidade com os mais pobres sejam eles idosos ou crianças, doentes com ou sem deficiência, deslocados ou marginalizados. A todos anunciam Jesus Cristo Ressuscitado, junto de cada um deles.
“A caridade de Cristo não me deixa descansar”, dizia Santo António Maria Claret, citando S. Paulo.
É este zelo apostólico que leva tantos consagrados, homens e mulheres, a deixarem tudo, terra e família, e partirem com o único objetivo de difundir o amor de Jesus Cristo em toda a parte.
Falando da vida consagrada, a irmã Tiziana, Franciscana dos Pobres, dizia que «os fundadores não se detiveram nas análises sociológicas» mas «encarnaram a palavra do Senhor, muitos deles transformaram pessoas e territórios, voltando a dar capacidade de viver e luz a zonas e bairros degradados desde todos os pontos de vista».
Nesta reflexão não posso esquecer os consagrados, missionários do sofrimento, que a doença amarra ao leito de um hospital ou prende a uma máquina à custa da qual conseguem viver e, com a serenidade, enfrentando a doença, anunciam o Cristo vivo e presente em cada pessoa.

— Rezar a Palavra

Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações. Hoje rezo com a Oração de São Patrício:
Cristo está comigo, Cristo à minha frente,
Cristo atrás de mim, Cristo em mim,
Cristo à minha direita, Cristo à minha esquerda,
Cristo ao me deitar, Cristo ao me sentar, Cristo ao me levantar,
Cristo no coração de todos os que pensarem em mim,
Cristo na boca de todos os que falarem em mim,
Cristo em todos os olhos que me virem,
Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem.

— Compromisso

Qual o meu novo olhar para a EVANGELIZAÇÃO, como consagrado/consagrada a partir da Palavra?
O meu novo olhar é de reconhecimento da salvação que também nós “vimos com os nossos próprios olhos”.
Ele, Jesus Cristo, é a luz que ilumina o nosso caminho.

— Bênção

Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
 

Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 2.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários