— Documento de trabalho [3] —

1. A nossa aproximação ao problema: a análise cultural e a simpatia crítica

O tema dos jovens é muito amplo. Por isso, é necessário estudá-lo a partir de uma perspetiva que esteja em consonância com a competência do Conselho da Cultura, o que poderia ser uma análise cultural. A análise cultural pressupõe a perceção dos valores dominantes, da escala de interesses, das tendências, das evoluções e das mudanças nos costumes sociais, dos modelos típicos de comportamento, dos costumes e das tradições, dos juízos de uma coletividade, dos processos de sociabilização das novas gerações. A análise cultural exerce-se em dois níveis: o primeiro é o do inventário descritivo que esboça, o mais objetivamente possível, os rasgos distintivos de uma cultura; o segundo procura interpretar o significado da cultura para aqueles que a vivem.
Toda a cultura compreende elementos não explícitos que é necessário fazer emergir mediante uma análise profunda dos símbolos culturais, dos significados latentes que revelam os comportamentos e as expressões culturais. Neste sentido, o mal-estar da condição juvenil enfrenta dois fatores: por um lado, as transformações culturais em ação e, por outro, a falta de correspondência das ideias e dos discursos para interpretar as mudanças em curso.
Muitas das coisas que os jovens pensam ou fazem não se podem compreender sem um profundo processo de simpatia e compreensão para com eles. É necessário compreender o fenómeno a partir dos jovens, porque são eles que estão mais sensíveis e expostos a estas transformações.

© Pontíficio Conselho da Cultura 
© Tradução de Laboratório da fé, 2013, a partir do texto oficial em espanhol


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 3.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários