— Documento de trabalho [5] —

2. Olhar fenomenológico

Situando-nos num mundo globalizado > > >

Mudanças radicais da experiência humana
Em tempos fluídos, fragmentados, domina a instabilidade cultural, unida à instabilidade política, educativa e económica. Os adolescentes e os jovens têm uma identidade incompleta e débil face ao cânon cultural dos adultos, não transmitido.
A transformação histórica que atravessamos suscita certamente grandes perguntas teóricas e, sobretudo, uma incerteza maior na prática. Não é errada a caracterização do ser humano contemporâneo como «homem na intempérie», expressão cunhada pela literatura para descrever em profundidade esse sentimento vago e intangível de angústia e desamparo, causador de um mal-estar dificilmente explicável, profundamente enraizado, que penetra nos homens e mulheres do nosso tempo. As consequências mais negativas e os riscos que se abatem sobre a vida das pessoas mais débeis e desprotegidas: entre outros, os jovens, descritos como elementos marginais, invisíveis ou ausentes dos processos históricos e culturais da sociedade.
«Ser jovem» converteu-se numa das referências quase míticas da nossa cultura, praticamente o único modelo socialmente disponível para todos. E, contudo, o primado simbólico do estilo de vida juvenil esconde uma sociedade que na prática abandonou os jovens à sua sorte, confiando-lhes os últimos lugares da hierarquia de interesses que a movem.
É necessário abrir uma brecha neste clima de pessimismo e desenvolver a fé nos jovens. Em diversas respostas dos membros e consultores, como também nos numerosos ensaios e investigações de tipo sociológico-cultural, os adolescentes e os jovens aparecem descritos com matizes sombrias. Motivo de preocupação são a crise do sistema educativo, o abandono escolar, as dificuldades do mercado de trabalho, o escasso peso e a pouca voz dos jovens. A escola vê-se afetada por problemas educativos graves, como a difícil inserção social, a desmotivação para o estudo, o pouco desejo de acreditar e de intervir no futuro. No aspeto mais propriamente psicológico apresenta-se uma idade atravessa por dolorosas tensões e perturbações profundas: adolescentes aborrecidos que ateiam fogo a um mendigo, raparigas que vendem fotografias íntimas por um carregamento do telemóvel, adolescentes cheios de comprimidos e álcool ao sábado à noite, atos diários de vandalismo...

© Pontíficio Conselho da Cultura 
© Tradução de Laboratório da fé, 2013, a partir do texto oficial em espanhol


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 4.2.13 | Sem comentários
Categorias:
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários