— Primeira Semana da Quaresma [no Ciclo C de Cortés (RD-Herder)] —


Distinguir o importante do supérfluo


Jesus encoraja-nos a sintetizar


Na intimidade da Quaresma, Jesus continua a dar-nos o seu peculiar «curso de catequese» («Mestrado em Jesus») àqueles que, hoje em dia, queremos ser seu discípulo — lição sobre o núcleo da mensagem (17 a 23 de fevereiro): «core business», o miolo da mensagem que tem de ser transmitida pelo discípulo de Jesus.
Nesta «lição magistral», Jesus previne-nos sobre a ratoeira das tentações do «só pão/só glória/só religião» (DOMINGO: «Durante quarenta dias, esteve no deserto, conduzido pelo Espírito, e foi tentado pelo Diabo»), para nos centrarmos no essencial: o mais humilde dos irmãos (SEGUNDA: «a Mim o fizestes»); perdoar (TERÇA: «Se perdoardes aos homens as suas faltas, também o vosso Pai celeste vos perdoará»); fazer o bem (QUINTA: «esta é a Lei e os Profetas»); ser bons em tudo (SÁBADO: «sede perfeitos, como o vosso Pai celeste é perfeito»).
Estes são os sinais essenciais que temos que mostrar a esta geração que, como todas as gerações, pede um sinal (QUARTA: «Esta geração é uma geração perversa: pede um sinal»), sabendo que o que fizermos na terra será o que levaremos para os céus (SEXTA: «tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus»).

Esta semana Jesus encoraja-nos a sintetizar, a entender o núcleo do que vamos transmitir aos nossos contemporâneos. Saber o que é essencial e o que é secundário é importantíssimo.

© José Luis Cortés — El ciclo C, Herder Editorial 
© tradução e adaptação de Laboratório da fé, 2013
— a utilização ou publicação deste texto precisa da prévia autorização do autor —


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 17.2.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários