— O que Deus exige de nós? —


Dia 6 — Caminhando além das barreiras


  • Rute 4,13-18 — Os descendentes de Rute e Boaz 
  • Salmo 113 — Deus, o socorro dos necessitados 
  • Efésios 2,13-16 — Cristo destruiu o muro da separação 
  • Mateus 15,21-28 — Jesus e a mulher cananéia
Caminhar humildemente com Deus significa caminhar além das barreiras que dividem e prejudicam os filhos de Deus. Os cristãos na Índia estão conscientes das divisões entre eles. São Paulo viveu no meio das devastadoras divisões que havia nas primeiras comunidades cristãs entre cristãos judeus e gentios. Diante dessa e de todas as barreiras subseqüentes, Paulo proclama que Cristo “é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade. Em sua carne destruiu o muro de separação”. Em outro texto Paulo escreve: “Vós todos que fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. Não há mais nem judeu nem grego; já não há mais escravo nem homem livre, já não há mais o homem e a mulher, pois todos vós são um só em Cristo.” (Gálatas 3, 27-28). Em Cristo, todas as profundas barreiras do mundo antigo – e de seus sucessores modernos – foram removidas porque na cruz Jesus criou em si mesmo uma nova humanidade.
Num mundo em que é difícil cruzar as barreiras religiosas, os cristãos, que estão em minúscula minoria no contexto multi religioso da Índia, nos relembram a importância da cooperação e do diálogo inter religioso. O evangelho de Mateus fala da difícil caminhada de Jesus – e de seus discípulos – para cruzar as barreiras de religião, de cultura e de gênero quando ele é confrontado por uma mulher cananéia que lhe suplica a cura de sua filha. O instinto visceral dos discípulos para mandá-la embora e a própria hesitação de Jesus foram superados pela fé dessa mulher e por sua situação de necessidade. Então, Jesus e seus discípulos foram capazes de ultrapassar as barreiras humanas e as fronteiras impostas pelo mundo antigo. Isso já está presente na bíblia hebraica. O livro de Rute, a mulher moabita de uma diferente cultura e religião, se encerra com uma lista dos descendentes que ela produziu com o israelita Boaz. Obed, o filho deles, foi o pai de Jessé, que foi o pai de Davi. Esses ancestrais do rei herói do antigo Israel refletem o fato de que a vontade de Deus pode ser cumprida quando as pessoas cruzam as barreiras da religião e da cultura. A caminhada com Deus hoje exige que cruzemos as barreiras que separam os cristãos uns dos outros e das pessoas que têm outros tipos de fé. A caminhada para a unidade cristã exige que andemos humildemente com Deus indo além das barreiras que nos separam uns dos outros.

Oração 

Pai, perdoa-nos pelas barreiras de ambição,
preconceito e desprezo que continuamente construímos
e que geram separação dentro das Igrejas e entre as Igrejas,
que nos separam das pessoas de outras crenças
e daquelas que consideramos menos importantes do que nós.
Que o teu Espírito nos dê coragem para cruzar essas fronteiras
e para derrubar os muros que nos desconectam uns dos outros.
Assim, com Cristo, queremos avançar para terreno desconhecido,
levando a mensagem dele,
que é de amorosa aceitação e unidade para o mundo inteiro.
Deus da vida, guia-nos para a justiça e a paz. Amem.

Questões
Quais são as barreiras que separam os cristãos na sua comunidade?
Quais são as barreiras que separam os cristãos de outras tradições religiosas na sua comunidade?
Quais são as diferenças e semelhanças entre a caminhada para além das barreiras que separam os cristãos uns dos outros e a caminhada para além daquelas que estão entre o cristianismo e outras religiões?


Postado por Marcelino Paulo Ferreira | 23.1.13 | Sem comentários
0 comentários:
Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Recentes
  • Arquivo
  • Comentários